Espaços Culturais

Inhotim
Foto: Daniela Paoliello

Inhotim

Avaliação

O Instituto Inhotim, sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil, é considerado o maior centro de arte ao ar livre da América Latina. É um lugar em formação, onde arte contemporânea e natureza se relacionam de forma especial. O espaço foi idealizado pelo empresário Bernardo Paz em meados da década de 1980. Em 1984, o local recebeu a visita do renomado paisagista Roberto Burle Marx, que apresentou algumas sugestões e colaborações para os jardins. Desde então, o projeto paisagístico cresceu e passou por várias modificações.

O Instituto não só se preocupa com o meio ambiente, mas está inserido em meio a uma relevante porção florestal remanescente de Mata Atlântica e Cerrado - dois dos biomas mais ricos em biodiversidade e, ao mesmo tempo, ameaçados do planeta, considerados hotspots mundiais. 

Dos 110 hectares da área composta de florestas estacionais semideciduais secundárias, 25 são de jardins. Soma-se a essa porção extensa uma área protegida na forma de Reserva Particular de Patrimônio Natural que, desde maio de 2010, está determinada a colaborar de forma vitalícia para a conservação da biodiversidade conectando o Inhotim ao sul da Cadeia do Espinhaço, considerada um dos mais importantes centros de diversidade e plantas do mundo.

Em meados da década de 1980, iniciaram-se as obras paisagísticas dos exuberantes jardins que futuramente viriam formar o Instituto Inhotim. Ao longo do tempo foram sendo adquiridas diversas espécies de palmeiras e árvores nativas brasileiras e exóticas de várias regiões do mundo, que se adaptaram muito bem na região. Os jardins valorizaram a exuberância da flora integrando-a de forma espontânea e harmônica com as paisagens e lagos por meio de caminhos, escadas e pátios construídos a partir de formações rochosas de quartzito natural - inovações que se popularizaram no paisagismo brasileiro.

Em 2010, a expressiva coleção do Instituto permitiu o reconhecimento deste como Jardim Botânico com uma coleção botânica. Composta por aproximadamente cinco mil espécies, duas famílias se destacam: a de palmeiras (Arecaceae), com mais de mil espécies e variedades, e a dos imbés, antúrios e copo-de-leite (Araceae), com mais de 400 espécies e formas - consideradas uma das maiores do mundo. Vale destacar que o amplo acervo botânico, combinado com a extensa estrutura do Viveiro Educador, possibilita a realização de pesquisas e atividades educativas que colaboram para a conservação ex situ da flora. 

O Inhotim tem cada vez mais se comprometido com a Rede Brasileira de Jardins Botânicos para o desenvolvimento de estratégias que colaboram para o alcance das metas da Estratégia Global de Conservação de Plantas.

Valores de entrada

Às quartas-feiras a entrada é gratuita. Terças e quintas-feiras, R$ 25. Sextas, sábados, domingos e feriados, R$ 40. Crianças de até cinco anos e integrantes do programa Amigos do Inhotim não pagam.

Meia-entrada: Crianças de 6 a 12 anos; idosos acima de 60 anos; estudantes e professores da educação formal identificados; funcionários Vale e JChebly; assinantes credenciados Estado de Minas, Hoje em Dia e O Tempo; e moradores de Brumadinho participantes do programa Nosso Inhotim.

Horários

Terças, quartas, quintas e sextas-feiras, das 9h30 às 16h30. 

Sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h30.

Venda antecipada pelo site www.inhotim.org.br

Curiosidades

- 1.000 pessoas compõem o quadro de funcionários do Inhotim, sendo que 75% são moradores de Brumadinho e região;

- O acervo de arte do Inhotim é composto por cerca de 800 obras de arte, mas apenas 170 estão em exposição atualmente; 

- Inhotim não pode ser considerado um museu, devido às suas atuações em outras áreas como Botânica e Inclusão Social. O Instituto Inhotim é, na verdade, um centro de arte contemporânea e Jardim Botânico.

Veja também

  • Reportar erro

    Atenção

    Confirme as informações antes de sair, pois os horários, preços e formas de pagamento podem ser alterados sem aviso prévio.