FecharX

Você sabe cuidar da saúde no verão?

As temperaturas mais altas exigem atenção especial com o nosso corpo. Aprenda!


Créditos da imagem: Vera Petrunina/Shutterstock.com
Main 194034 destacuidados no ver%c3%a3o
Redação Sou BH
30/12/18 às 12:01
Atualizado em 11/02 às 16:16

O verão chegou com tudo e a expectativa para os próximos meses em BH é de que os termômetros cheguem a 35°C. Para evitar desconfortos e problemas de saúde, a recomendação de especialistas é se hidratar, usar roupas leves e reforçar o protetor solar.

A desidratação e a insolação são doenças diretamente ligadas ao calor, e o risco é maior para quem vai frequentar praias ou fazer atividades ao ar livre. Além dos incômodos, elas podem levar a casos mais graves, principalmente em idosos e crianças, conforme alerta o clínico geral da Unimed-BH, José Francisco Zumpano.

A desidratação ocorre pela perda de água no organismo. Por isso, a orientação é aumentar o consumo de líquidos. Uma dica é prestar atenção à cor da urina; se estiver muito escura pela manhã, é porque o corpo precisa de mais água.  “O recomendado é beber de dois a três litros de água durante os dias mais quentes”, explica.

Já a insolação acontece com a exposição prolongada ao sol e com o aumento da temperatura do organismo, que leva à perda de água e nutrientes. A dica para evitar ficar desidratado é usar protetor solar diariamente, não se expor ao sol entre 10h e 16h, usar roupas leves e claras, e, se possível, usar bonés, chapéus e óculos escuros (com proteção ultravioleta para evitar queimaduras na retina). Lembrando que o protetor também previne doenças de pele mais graves como queimaduras e câncer.

Comer bem

Sobre a alimentação no verão, José Francisco reforça que as refeições devem ser mais leves. A ingestão de comidas muito pesadas provoca a concentração de sangue na região abdominal para ajudar a digestão, mas o ideal é ele circule por todo o corpo.  

Prefira sucos naturais, água de coco e chá gelado. Evite pães, torradas e itens muitos gordurosos. Se possível, opte por ‘gorduras boas’, como as que estão presentes no abacate, coco e castanhas. 

Outro ponto importante é ter cuidado ao ingerir alimentos crus, como saladas e peixes (a exemplo do ceviche e carpaccio). Se não forem bem higienizados, eles podem transmitir bactérias. Por isso, em estabelecimentos em que você não conhece a forma de preparo, é melhor optar pelos legumes cozidos.

Quem for viajar, deve ficar atento também à aparência da água. “As doenças de transmissão hídrica são comuns. Quando for beber, verifique sempre a qualidade e, se não souber a procedência, opte pela água mineral”, ressalta. E se você apresentar sintomas como náuseas, febre, dores abdominais e diarreias, procure um médico.

Comentários