FecharX

Vacina contra gripe transmite a doença? Faz mal para grávidas? Descubra mitos sobre tema

Com boatos e notícias falsas se espalhando, muita gente tem medo de um processo seguro


Créditos da imagem: Omage Point Fr
Main saude
Agência Minas
19/05 às 11:00
Atualizado em 19/05 às 11:00

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe é feita todos os anos, mas mesmo sim, muitos ainda têm dúvidas sobre a vacina. Mesmo com a campanha anual, uma série de mitos e informações falsas sobre a vacina, e também sobre a doença, é espalhada e pode provocar confusão em parte da população sobre quais são as reais medidas de prevenção e tratamento.

Um dos mitos mais comuns é o de que a vacina contra a gripe transmite a doença. A coordenadora de Imunizações da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Josianne Dias, explica que a informação é falsa.

“A vacina contra a gripe é fragmentada e inativada, sendo totalmente segura e incapaz de provocar a doença. As pessoas que ficam gripadas após tomarem a vacina provavelmente adquiriram outras doenças respiratórias ou já tinham o vírus e a vacina não teve tempo suficiente para fazer seu efeito, pois a detecção de anticorpos protetores se dá entre 2 a 3 semanas após a vacinação. A vacina contra a gripe, portanto, não transmite gripe e cumpre seu papel de diminuir consideravelmente o número de complicações, internações e óbitos por influenza”, afirma.


Outra informação falsa é a de que a vacina pode fazer mal para gestantes. Pelo contrário: a vacinação contra o vírus influenza em gestantes é uma estratégia eficaz de proteção para a mãe e para o lactente. Além de proteger a mãe, a vacinação durante a gestação reduz o impacto da doença em bebês e o risco de hospitalização, que é muito elevado nos primeiros meses de vida.

“As gestantes fazem parte do grupo elegível da campanha de vacinação e não só podem como devem comparecer aos postos de saúde e se vacinarem. É importante ressaltar que as grávidas têm maior risco de desenvolver formas graves de doenças respiratórias e, por isso, ter altas taxas de mortalidade”, explica Josianne.

Dose anual

Mais uma questão que costuma gerar dúvidas é a necessidade de se tomar a vacina contra a gripe todos os anos. Quem tomou a vacina no ano passado deve, sim, se vacinar novamente em 2019, pois a proteção conferida pela vacinação é de aproximadamente um ano, motivo pelo qual é feita anualmente. Além disso, a constante mudança do vírus influenza requer uma frequente reformulação da vacina.  

Apesar da campanha, a vacinação contra gripe está abaixo da meta em Minas Gerais. A cobertura vacinal no estado está em 64,85%, ou seja, até agora foram aplicadas em torno de 3,7 milhões de doses. Para ajudar na prevenção, cerca de quatro mil postos de vacinação estão à disposição dos mineiros até 31 de maio. Saiba mais detalhes na matéria

Tags:
  • eusoubh
  • soubh
  • saúde
  • prevenção
  • cuidados
  • mitoseverdades
  • influenza
  • gripe
  • vacinação
Comentários

Comentários