FecharX

Copa América aumenta risco de transmissão de sarampo

Torneio vai trazer ao Brasil torcedores de 99 países ao Brasil e Mineirão vai receber cinco partidas


Créditos da imagem: Gil Leonardi/Imprensa MG
Main img 7475   gil leonardi   imprensa mg
Redação Sou BH
31/05 às 14:00
Atualizado em 31/05 às 14:31

Especial publicitário - Este material é patrocinado*  

Belo Horizonte vai receber cinco jogos da Copa América e, segundo o comitê organizador, a estimativa é que torcedores de 99 países venham ao Brasil para assistir à competição. Com esse grande movimento de pessoas, o risco de transmissão de doenças infecciosas aumenta. Uma das que mais preocupa, é o sarampo.

Só neste ano, o Ministério da Saúde confirmou 83 casos da doença, além de uma endemia no Pará, região Norte do Brasil. 

De acordo com a Unimed-BH, a vacinação é a principal medida de controle e prevenção e deve ser feita até 15 dias antes da possível exposição a situação de risco – como a ida a um estádio de futebol, por exemplo.       

Quem ainda não está imunizado deve procurar um dos postos de saúde da capital e atualizar o cartão de vacinas. Saiba como deve ser feita a imunização e veja dicas da Unimed para se proteger.

Doses da vacina de sarampo:

• Aos 12 meses de idade: a criança deve receber a primeira dose da vacina tríplice viral.

• Aos 15 meses de idade: a criança deve receber a segunda dose com a vacina tetraviral (contra o sarampo, a rubéola, a caxumba e a catapora/varicela) ou a vacina tríplice viral e a de varicela monovalente.               
• De 02 a 29 anos: caso não tenha nenhum registro de dose da vacina tríplice ou tetraviral, deve receber duas doses com intervalo de, no mínimo, 30 dias da primeira dose. 

• De 30 a 49 anos: caso não tenha nenhum registro de dose da vacina tríplice ou tetraviral, deve receber apenas uma dose. 

• Profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, dentistas e outros), independentemente da idade: devem ter duas doses válidas da vacina tríplice viral documentadas.

 

Dicas importantes:        

- Higienize as mãos com água e sabão antes de cada refeição;   
- Use antisséptico à base de álcool, que pode ser uma alternativa à lavagem das mãos em ambientes externos;
- Quando for tossir ou espirrar, cubra a boca com a parte interna do braço, evitando, assim, a propagação de agentes infecciosos respiratórios;
- Evite ambientes de aglomeração de pessoas sem ventilação.

*O conteúdo é de responsabilidade do anunciante 

Comentários