FecharX

CineAfro BH abre inscrições para projetos de todo o país

Serão selecionadas obras de produtores afro-brasileiros para exibições durante a mostra


Créditos da imagem: Divulgação/Mostra CineAfro BH
Main 134021 mostracineafrobh
Redação Sou BH
21/01 às 10:54
Atualizado em 01/02 às 17:01

A Mostra CineAfro BH: Quilombos Urbanos, Fé e Cultura está recebendo inscrições para sua terceira edição. Por meio de um edital eletrônico, o projeto vai convidar cineastas afro-brasileiros de Minas Gerais e todo o país a participarem da programação. As inscrições ficam abertas até o dia 31 de janeiro.

Após o período de inscrições, que podem ser feitas no link, serão selecionados dez filmes para exibições durante a mostra. Destas obras, seis trabalhos deverão ser, preferencialmente, produzidos por realizadores afro-brasileiros do estado ou que sejam radicados em Minas há pelo menos dois anos, além de quatro produções de cineastas de outros estados do país. 

Podem ser inscritos filmes de curta metragem (até 20 minutos) e média metragem (até 55 minutos), finalizados entre 2010 e 2018, dos gêneros de ficção, documentário e animação, sem restrições de formato de produção. Os filmes selecionados participarão da edição da mostra deste ano.

Circulando

 A 3ª Mostra CineAfro BH fará, até setembro, oito sessões de cinema gratuitas, sendo quatro itinerantes pelas ruas de BH, Salvador e Valença, na Bahia, e quatro de contrapartida nas periferias da capital mineira. As sessões de rua acontecerão próximas às instituições culturais afro-brasileiras de quatro mestres de culturas de raiz de matriz africana, com trabalhos consolidados há mais de 20 anos.

O objetivo é homenagear e promover os mestres da cultura popular local com rodas de conversa e sessões de cinema sempre próximas aos locais onde os artistas executam seus trabalhos, contribuindo para um reposicionamento simbólico dessas atividades na comunidade. Os locais em que as sessões serão promovidas e mais informações sobre o evento ainda serão divulgadas nas redes sociais do projeto.

Comentários