FecharX

Moradora de BH ‘planta’ flores de tricô nas árvores da cidade para levar amor às pessoas

Odette Castro criou o projeto Uma flor Cura Uma Dor como forma de combater o ódio na sociedade


Créditos da imagem: Camila Saraiva/Sou BH
Main 141207 camila saraiva 5
Redação Sou BH
17/12/18 às 10:03
Atualizado em 01/02/19 às 17:46

Por Camila Saraiva

Florir ainda mais a capital. Esse é o lema da decoradora de eventos, Odette Castro, idealizadora do projeto Uma Flor Cura Uma Dor. Desde março deste ano, a artesã coloca, todos os dias, uma flor feita de tricô em árvores da cidade. O movimento começou com uma vontade pessoal de combater, de alguma forma, a onda de manifestações de ódio na internet.

“Eu sempre trabalhei com tricô e com esse movimento de ódio em rede social eu me sentia muito incomodada e pensava que tinha que fazer alguma coisa pra diminuir esse ódio no mundo”, conta Odette.

A ideia começou na praça Nova York, no bairro Sion, região Centro-Sul da cidade, cresceu e hoje a criadora do projeto também é presenteada pela ação. “Todos os dias eu faço uma flor. Faço para alguma causa, por alguém, é uma forma de mostrar amor para pessoas e para BH. O projeto ficou maior do que esperava e hoje me dá incentivo para continuar, depois que passei por uma fase difícil quando minha filha morreu”, revela.

Segundo Odete, outras quatro pessoas abraçaram a ideia e também fazem flores para decorar as árvores da de BH. O projeto já ultrapassou as fronteiras do município e chegou em Pará de Minas, cidade que fica a menos de 100 km da capital.

“Eu fiz um trato com o universo de fazer uma flor por dia para o resto da minha vida. Queria que BH ficasse toda florida, ia ser um sonho”.  

Odette também ensina a técnica terapêutica do crochê imperfeito para pessoas que estão sob estresse, que passam por depressão, com câncer e idosos em asilos. “Você vai tecendo de acordo com sua emoção, ele não tem desmanche, porque na vida você não desmancha seu erro, você passa por cima e conserta. E aí eu vou contando a minha história e ensinando, com a proposta de fazer algo com a flor. Ou dou para alguém que está passando por uma dor ou coloco na árvore”.

Além do trabalho com a arte, Odette também mantem uma página do Facebook que incentiva as pessoas a falaram com mais cuidado e menos preconceito. O Fale Certo é sobre a parte afetiva da fala. Para conscientizar seus seguidores, toda quarta-feira ela cita alguma palavra preconceituosa e usada por hábito que machucam e causam sofrimentos. 

  
Camila Saraiva/Sou BH

Comentários