FecharX

Lá da Favelinha: conheça o projeto que leva arte e empreendedorismo para o Aglomerado da Serra

A iniciativa é feita de moradores para moradores e conta com oficinas profissionalizantes, culturais e gratuitas



Créditos da imagem: Juliana Silveira
Main 212710 image 6483441
Redação Sou BH
12/12/18 às 13:37
Atualizado em 01/02/19 às 17:44

Por Júlia Alves

Em 2015 se consolidava uma nova ação que tomaria conta das ruas e vielas da Vila Novo São Lucas, no Aglomerado da Serra: o Lá da Favelinha. O projeto, que nasceu de um sonho, se tornou uma realidade transformadora de vidas com cursos profissionalizantes, empreendedorismo, cultura e ainda mais ideias possíveis. Ao todo, são 16 oficinas semanais e gratuitas, além de eventos culturais, festivais e o fomento das pequenas empresas feitas pelas mãos dos quase cinco mil moradores. Agora, o sonho é outro. O Lá da Favelinha vai criar o primeiro shopping da comunidade que abrigará o trabalho de vários segmentos desenvolvidos pelos habitantes e fomentados pela iniciativa.

Carlos Eduardo dos Anjos, ou apenas Kdu dos Anjos, é a mente por trás do Lá da Favelinha. Há cerca de três anos, o multiartista estava em uma importante fase da carreira – trabalhando com o Giramundo, participando do Duelo de MC’s e do Sarau Vira-Lata – e seu sonho era que a sua comunidade aparecesse nos noticiários de forma positiva e que os moradores pudessem ter mais oportunidades como ele.

Criando mais sonhos

Atualmente, o projeto conta com 16 oficinas que ensinam diversas atividades e contam com a participação e apoio de grupos de toda BH (percussão com o Então, Brilha; workshops do Cefet; aulas de inglês e espanhol; dança; capoeira e judô). A iniciativa ainda possui a Disputa Nervosa, uma espécie de produtora que ajuda artistas locais e participa de festivais da cidade ou eventos próprios dentro da comunidade.


Junior Silva 

Neste pequeno ecossistema, Kdu dos Anjos acredita que é gerada renda direta para, pelo menos, 70 pessoas – entre dançarinos, MC’s, costureiras e outros –, além de mais centenas de pessoas atendidas pelos projetos na vila.

Entre esses grupos apoiados pelo Lá da Favelinha, está a cooperativa Remexe. Organizada por um coletivo de costureiras, o projeto reutiliza roupas usadas e transforma em outras peças para a venda. O Fica Ryka Favelinha também é uma ação de fomento dos negócios locais que oferece palestras de empreendedorismo, ensina como gerir um espaço e investir o dinheiro, entre outras ações. Existe ainda o Favelinha Fashion Week, que apresenta as coleções da cooperativa e disponibiliza as peças feitas pelas costureiras locais.

O futuro

A ideia agora é crescer cada vez mais. Com a campanha de financiamento coletivo Levante Favelinha, o objetivo é arrecadar, até o fim de dezembro, R$ 108 mil para reformar e ampliar o espaço, criando o Favelinha Shopping Center e andares interligados com a produção do material que será vendido no centro de compras, além dos locais que abrigarão as oficinas e palestras. Para doar e saber mais sobre o projeto, acesse o site de crowdfunding Evoé.

Mas, o céu é o limite para o Lá da Favelinha quando o assunto é crescer a comunidade. Recentemente, o projeto fechou uma parceria com o Conselho Britânico. O objetivo é empoderar as mulheres do São Lucas, principalmente as costureiras, com novas tecnologias, cursos online, pesquisas e materiais de primeira. Tudo isso vai resultar em uma viagem para Londres, onde as costureiras do bairro vão poder aprender mais e mostrar seu trabalho numa faculdade de moda inglesa. Para Kdu, esse sempre foi o desejo, apresentar o melhor lado da comunidade e permitir que seus moradores sonhem.


Mariana Rodrigues

“É muito importante ver a comunidade toda mobilizada para os eventos e projetos, ver a mudança no dia a dia. Isso é incrível, porque somos um acúmulo de minorias, abraçamos todos e tentamos dar oportunidades para todos crescerem. Damos uma base, apoiamos o empreendedorismo e quem quer crescer tem espaço no Lá da Favelinha”, comenta o idealizador do projeto.

Filhos do Aglomerado

E é com orgulho que Kdu fala sobre as pessoas que passaram pelo projeto ou que levam o nome da comunidade para além das vielas. Entre eles, está o jovem de 12 anos MC Leozinho. O pequeno foi protagonista do elenco infantil da série da TV Cultura Mostra Tua Cara!. Agora, será protagonista novamente, desta vez em um filme. Além dele, Fábio Lucas ganhou o prêmio de melhor ator no Festival Internacional de Cinema Independente pela obra Arteiro.

Apenas dois nomes de tantos outros talentos da Disputa Nervosa, do Duelo de MC’s e outros inúmeros projetos com artistas que se fizeram e ainda se fazem nas ruas do Aglomerado da Serra. Para Kdu, esse é o futuro que ele quer para os moradores. “Queremos atender mais pessoas e proporcionar mais oportunidades para toda a comunidade se gerir e mudar sua própria realidade”, finaliza o artista.

Comentários