FecharX

Conheça instituição que oferece atividades culturais para crianças em risco social

A Associação Ponto Cultural fomenta a profissionalização e a ocupação do dia a dia de jovens em comunidades de baixa renda da capital


Créditos da imagem: Gisele Coelho
Main 212213 dscf5815
Redação Sou BH
26/12/18 às 09:11
Atualizado em 01/02 às 17:47

Por Júlia Alves

Uma esperança para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. A Associação Ponto Cultural, que atende moradores da região Oeste de BH, é uma instituição voltada para atividades culturais e extracurriculares. Voltada para o aprendizado contínuo dos jovens, mesmo fora da escola, a associação fomenta a profissionalização e ajuda a ocupar o dia a dia dessas crianças em comunidades de baixa renda.

Fundada em 1998, a Associação Ponto Cultural procura tirar crianças e adolescentes das ruas e de diversos riscos sociais proporcionando a participação em atividades culturais. Focando principalmente nos moradores do Morro das Pedras e do bairro Havaí, a Ponto Cultural foi criada pela gestora social Patrícia Coimbra e teve um começo tímido, atendendo 12 crianças no salão da Capela Nossa Senhora do Rosário, no bairro Jardim América.

“Procurei o padre da capela e disse que queria começar uma instituição social. Inicialmente foram 12 crianças. Fazíamos rodas de conversa sobre temas de interesse, então começamos com o acompanhamento escolar e pedagógico e a instituição foi crescendo. Em pouco tempo chegamos a 24 crianças. Então, o espaço começou a ficar pequeno”, conta Patrícia.

Um crescimento constante

Segundo a presidente, a instituição foi crescendo para garantir a permanência das crianças e oferecer ainda mais atividades. “A evasão estava crescendo e queríamos fazer algo para mantê-los no projeto. Então, além do apoio escolar com raciocínio lógico e interpretação de texto, começamos a oferecer coisas que eles gostavam, como aula de futebol, balé, oficina de percussão e fomos dando um caráter mais institucional”, afirma Patrícia.

Com os registros nos conselhos municipais e estaduais, a associação ampliou o número de beneficiários e de oficinas, agregando futebol society, balé clássico, jazz, inclusão digital, capoeira, percussão, musicalização, além de promover diversos eventos esportivos, artísticos e culturais em conjunto com familiares, comunidade e parceiros.

“Envolvemos crianças de áreas de risco e crianças de sistema socioeducativo e damos oportunidade de lazer, esporte e cultura. Temos eventos durante o ano inteiro com as famílias dos jovens, o que é extremamente importante para as crianças”, comenta.

Oferecendo atividades para crianças de 6 a 14 anos e mantendo ainda adolescentes até os 17 anos que estão em programas profissionalizantes, a instituição superou obstáculos diversos como a falta de verbas e inundações que atingiram a sede em 2017. Por isso, para Patrícia, as doações são essenciais para manter as atividades e dar esperança aos jovens.

Para ajudar

Quem quiser ajudar têm quatro formas: com doação em dinheiro pela conta da associação (veja no site); com doações pelo imposto de renda e leis de incentivo do governo; com materiais, como bolas de futebol, roupas de bailarina, instrumentos e eletrodomésticos; participando como voluntário nas atividades do projeto. Você pode saber mais sobre com doar no site da Ponto Cultural.

Comentários