FecharX

Campanha alerta para os riscos de antecipação do parto

Programar o nascimento do bebê para antes das festas de final de ano pode causar problemas como o distúrbio respiratório


Créditos da imagem: Leonardo da/Shutterstock.com
Main 160856 destariscos parto por leonardo da   copia
Redação Sou BH
24/12/18 às 09:04
Atualizado em 01/02 às 17:47

A chegada de um bebê é aguardada com muita expectativa pelos pais, mas o excesso de controle com o parto pode prejudicar a criança. Organizações de saúde alertam sobre os riscos de se programar o nascimento, neste caso, para dias que antecedem o Natal, na tentativa de evitar que a criança nasça no dia 24 ou 25 de dezembro.

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o número de cesarianas realizadas na última semana de dezembro cai. Mas nos dias que antecedem o Natal, registra-se um aumento na programação dos partos. O número de cesarianas durante as festas de fim de ano (de 24 a 31 de dezembro) chega a diminuir 20% em relação à média semanal do ano.

Para conscientizar os pais de que a criança precisa nascer no tempo certo, a ANS lançou uma campanha junto às beneficiárias de planos de saúde para alertar sobre os riscos da antecipação. ‘A hora do bebê: pelo direito de nascer no tempo certo’ está sendo divulgada entre as instituições que apoiam o Projeto Parto Adequado. 

“A conscientização da hora correta do parto é que, à exceção de situações de risco, o feto é que determina o momento de nascer. Assim, evitamos intervenções antecipadas e desnecessárias com potenciais riscos e experiências negativas”, afirma o obstetra e superintendente da Maternidade Unimed-unidade Grajaú, Frederico Peret.

Até 39 semanas ou 275 dias de gestação, pode não haver maturidade completa dos pulmões, aumentando a chance de distúrbios respiratórios, e da necessidade de internação em CTI Neonatal.

Acompanhe abaixo a cronologia do desenvolvimento de um bebê:


Comentários