FecharX

Ação solidária visa proteger famílias da Região Metropolitana de BH contra a fome

Intitulada Campanha Comunidade Viva Sem Fome, iniciativa tem o objetivo de arrecadar diversos tipos de doações



Créditos da imagem: What Diana Did/ shutterstock
Main shutterstock 608975531
Redação
22/05 às 13:00
Atualizado em 22/05 às 13:00

Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), em consequência da crise ocasionada pela pandemia do novo coronavírus, o número de pessoas em situação de extrema pobreza e fome crônica poderá dobrar nos próximos meses e anos. Levantamento do instituto de pesquisa Data Favela desse ano já aponta que, com a crise, um em cada três moradores de favelas no Brasil já estão enfrentando dificuldades para comprar alimentos e outros itens básicos. Frente a essa grave ameaça e com o objetivo de promover a vida em tempos de Covid-19, foi lançada em abril a campanha Comunidade Viva sem Fome, fruto de uma aliança estratégica entre a Associação Imagem Comunitária (AIC), a Cáritas Brasileira Regional Minas Gerais e a Associação Mineira de Supermercados (AMIS), em parceria com outras instituições.

Vinte dias depois do lançamento, essa aliança ganhou um importante reforço: o Movimento Dias Melhores, formado por um grupo de empresárias mineiras que se uniram para atuar no fortalecimento da saúde pública e da ação cidadã em resposta aos desafios da pandemia. Agora, ao juntar forças com o Movimento Dias Melhores, a Comunidade Viva sem Fome eleva a um novo patamar a força-tarefa que foi criada com o objetivo de assegurar, pelo menos até dezembro de 2020, um um kit mensal de alimentos básicos e itens de higiene e limpeza para cerca de 1200 famílias da Região Metropolitana de BH em situação de extrema pobreza, podendo esse número ser ampliado.

Essa meta já foi praticamente atingida no primeiro mês da campanha. Entre abril e maio, a iniciativa já está atendendo 1040 famílias, distribuindo o equivalente a 14,5 toneladas de alimentos. As cestas estão sendo destinadas às famílias mais vulneráveis das maiores vilas, favelas e aglomerados de todas as nove regiões de Belo Horizonte, além das ocupações urbanas e das comunidades em situação mais aguda de risco social da RMBH. Também são priorizados alguns públicos específicos, que tiveram as vulnerabilidades agravadas com a pandemia, como comunidades indígenas e quilombolas, pessoas com doença falciforme, crianças com câncer, migrantes e refugiados. O diagnóstico dessas famílias é baseado em uma ampla pesquisa junto às comunidades periféricas, feita pela equipe da AIC, por meio da rede Periferia Viva. O trabalho de diagnóstico também conta com o apoio de uma comissão interinstitucional, constituída por representantes de entidades parceiras da campanha. O desafio, agora, é garantir a entrega de uma cesta mensal às 1040 famílias, no mínimo até dezembro. E, se possível, tentar ampliar paulatinamente o número de famílias e comunidades atendidas a cada mês.

Como participar:

Qualquer pessoa ou empresa pode contribuir com a campanha.

Razão Social: Movimento Bem Maior

Banco: Banco Inter

Agencia: 0001

Conta Corrente: 5643433-2

CNPJ: 32.728.250/0001-39

 

Todos os recursos arrecadados pelo Movimento Dias Melhores serão revertidos para a Comunidade Viva sem Fome, para a compra dos itens que compõem a cesta básica.  

A prestação de contas será publicada quinzenalmente no site da Comunidade Viva sem Fome através de um balanço com informações sobre as comunidades e famílias atendidas e os valores repassados pelo Movimento Dias Melhores.

Tags:
  • Campanha Comunidade Viva Sem Fome
  • doação
  • solidariedade
  • Movimento Dias Melhores
  • bh
Comentários

Comentários