FecharX

A Magia de Escher bate recorde de público em BH

<p>A exposição do mestre holandês ultrapassou, em apenas 35 dias, a marca de visitação das principais exposições já realizadas no Palácio das Artes</p>


Créditos da imagem: Divulgação/Árvore Comunicação
Main escher
Divulgação/Árvore Comunicação
Redação Sou BH
12/08/14 às 10:37
Atualizado em 01/02 às 17:19

A temporada de ?A Magia de Escher? em Belo Horizonte mantém o sucesso obtido nas capitais por onde passou e justifica, mais uma vez, o título de exposição mais visitada no mundo em 2011, declarado pela The Art Newspaper. Em apenas 35 dias de visitação, a mostra já alcançou a marca de 100 mil pessoas, batendo o recorde de visitação da Fundação Clóvis Salgado nos últimos 10 anos.

O maior número registrado, até o momento, foi em 2004, na mostra ?História em Quadrões?, de Maurício de Souza, que recebeu 98.998 visitantes. Em segundo lugar estava ?O Tesouro dos Mapas - A Cartografia na Formação do Brasil?, de 2003, com 92.690 visitantes.

Com média de 2.600 mil visitantes diários, de terça a sexta-feira, e cerca de 3.500 mil nos finais de semana, a exposição ?A Magia de Escher? se tornou um marco na história do Palácio das Artes. A mostra fica em cartaz até o dia 17 de novembro, no Palácio das Artes. A entrada é franca.

A Magia de Escher

A mais completa exposição já realizada no Brasil dedicada ao holandês Maurits Cornelis Escher (1898 ? 1972) reúne as 85 obras mais enigmáticas do artista gráfico, entre gravuras originais, desenhos e fac-símiles, pertencentes à coleção da Fundação Escher, na Holanda. A entrada é franca.

A exposição permite que o público passe por uma série de experiências que desvendam os efeitos óticos e de espelhamento que Escher utilizava em seus trabalhos. ?As obras do Escher são raras e muito procuradas para exposições. Só existem três coleções no mundo.?, afirma o curador da mostra Pieter Tjabbes, da empresa Art Unlimited.

 

Comentários