FecharX

Feira Hippie é tradição que está na moda

Aquelas coisinhas bonitinhas, bem diferentes e originais, só se encontram na Feira Hippie


Créditos da imagem: PBH
Main feira hippie 20140912233416
Produtos regionais são bem populares na Feira Hippie
Redação Sou BH
23/09/14 às 17:19
Atualizado em 01/02 às 17:59

Desde 1969, a Feira Hippie é o ponto de encontro do belo-horizontino na manhã de domingos.  Uma das maiores feiras da América Latina começou na Praça da Liberdade e hoje ocupa a avenida Afonso Pena, entre as ruas da Bahia e Carandaí, com cerca de três mil expositores. Roupas, sapatos, móveis, artesanato, bijuterias e artigos de decoração: na Feira Hippie tem!

O pai do expositor Fabrício Santiago, Itamyr Marra, tinha uma loja de bijuterias de acrílico na Galeria do Ouvidor, mas, quando soube da feira, resolveu se inscrever e montar uma barraca. “Meu pai descobriu a feira e achou que seria legal ter uma barraca lá e montou. Na época a feira ainda funcionava na Praça da Liberdade. Isso deve ter uns 35 anos”, conta.

A Feira Hippie nasceu do desejo de estudantes e artistas plásticos de exporem seus trabalhos. A Praça da Liberdade foi escolhida por ser um local arborizado, bonito e que inspirava arte, pela beleza de seu conjunto arquitetônico. Além disso, nessa época o local era pouco frequentado pelos belo-horizontinos. Vivendo em plena ditadura, a prefeitura da capital não aceitou de imediato a existência do espaço como feira. Outra questão que afligia a administração da cidade era a ideia da praça virar palco de artistas modernistas.  Somente em 1971, a Feira teve o apoio do governo que, por meio do desejo do então governador de Minas Gerais, Israel Pinheiro, queria que a praça fosse ocupada pelo povo. Em 1991, ela foi transferida para a avenida Afonso Pena.

Pessoas chegam de todo o país para conhecer os produtos. O local é um ponto turístico da capital. Os montadores costumam chegar de madrugada para montar a estrutura das barracas e os expositores aparecem um pouco mais tarde. “Tem expositores que chegam por volta das 4h, outros chegam até às 7h. Depende da barraca e dos produtos a serem montados”, explica Fabrício. Chegar de madrugada também oferece a possibilidade de ver a noite de BH. “Gente bêbada, expositor com criança de colo, grupo de pessoas andando pela cidade, vê de tudo na montagem das barracas”, diz Fabricio.

O propósito da Feira Hippie sempre foi o de levar os produtos feitos por amadores de forma artesanal para o grande público. Mas com o tempo, os expositores se profissionalizaram e muitos deles já conseguem produzir de forma menos artesanal, mas a essência da arte e do artesanato continua viva.

A Praça de Alimentação

Espetáculo à parte na Feira Hippie são as barracas de alimentos. Churrasco, acarajé, peroá frito com limão, bolo, doces, bebidas, todos param nesta área. “Algumas pessoas saem da balada e vão para a feira para continuar bebendo”, ressalta Fabricio.

Perto da área de alimentação tem roda de samba e de capoeira, manifestações artísticas borbulham no local. Além disso, quando há Concerto no Parque, as pessoas que frequentam a feira costumam assistir à apresentação.

Comentários