FecharX

Aeroporto Internacional de BH se destaca em ranking que mede emissões de gases

Por 2 anos consecutivos, o terminal saiu na frente e, desta vez, se tornou o primeiro do país a obter a acreditação de emissões de carbono no nível 2


Créditos da imagem: Divulgação / BH Airport
Main divulga%c3%a7%c3%a3o bh airport
Redação Sou BH
28/10 às 09:00
Atualizado em 28/10 às 09:40

Especial publicitário - Este material é patrocinado* 

O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte traz para Minas Gerais mais uma conquista. O espaço é o primeiro terminal do país a ser reconhecido por reduzir as emissões de gases de efeito estufa, considerados os principais responsáveis pelo aquecimento global.

O título foi conquistado após um levantamento do programa de Airport Council International (ACI), que avalia e reconhece os esforços e as ações dos mesmos para reduzir as fontes de emissão de gases. Em 2018, o Aeroporto já havia conquistado a acreditação de emissões de carbono, no nível 1, que buscava identificar as fontes de emissão de gases de efeito estufa.

Agora, em 2019, o local saiu na frente e recebeu a acreditação no nível 2, que avalia a redução na prática. O ACI, único no mundo aprovado institucionalmente para aeroportos, é dividido em quatro etapas e seguem o Protocolo GHG (Greenhouse Gases) e a norma ISO 14.064 para promover a preservação do meio ambiente.

Para alcançar o mapeamento, a BH Airport, concessionária do aeroporto, apostou em iniciativas simples, com baixo custo, mas com resultados relevantes. A gestora desenvolveu alguns projetos que envolveram as áreas de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente, Manutenção, Terminal de Cargas e Administrativo-Financeiro da empresa. Uma das ações foi a mudança de uma rotatória na via de serviço, que diminuiu o trajeto dos ônibus e veículos em área operacional. O projeto, que inicialmente tinha o intuito de aumentar a eficiência dos ônibus, reduziu em mais de 6% o consumo de diesel desses veículos.

Outra medida adotada foi a mudança do layout do Terminal de Cargas, elaborado para reduzir a área de movimentação das empilhadeiras para realizar o armazenamento das cargas. A redução desse trajeto refletiu em queda de 15% no consumo de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) pelas empilhadeiras. As ações provocaram a redução de 13,79% do índice de toneladas de carbono, passando de 2.480 toneladas em 2017 para 2.138 toneladas no ano passado.

"A conquista da acreditação nível 2 demonstra o compromisso da BH Airport em seguir evoluindo no atendimento ao cliente, levando sempre em conta ações em prol da sustentabilidade. Demos mais um passo a favor da excelência dos processos”, conclui Douglas Gameiro, gestor de Segurança e Processos Integrados da BH Airport.

Agora, o aeroporto se prepara para receber o nível 3 (otimização), que trata do engajamento da comunidade aeroportuária nesse sentido. E, futuramente, o nível 4 (neutralização). Para atender as exigências da acreditação, as equipes da BH Airport precisaram de aproximadamente um ano.

*O conteúdo é de responsabilidade do anunciante

Tags:
  • efeito estufa
  • emissões de gases
  • bh airport
  • minas gerais
  • Aeroporto Internacional de Belo Horizonte
Comentários

Comentários