FecharX

Programa municipal vai abrir três mil novas oportunidades de emprego

O Jornada Produtiva regulamenta a atividade de ambulantes e trabalhadores de feiras populares


Créditos da imagem: Divulgação/Urbel
Main 5281125372 8b8a4510e2 o
Redação Sou BH
09/05 às 11:07
Atualizado em 09/05 às 16:49

Um novo programa da capital pretende regularizar a atividade de trabalhadores do comércio popular, além de criar novas oportunidades de renda na capital. O Jornada Produtiva da Prefeitura de BH tem o objetivo de criar 3,4 mil vagas para o licenciamento de comerciantes.

O programa abrange várias modalidades de trabalho, como ambulantes, food bikes e feiras regionais de artesanato, plantas, comidas e bebidas em toda a cidade. Todos os residentes de BH podem participar.

A secretária municipal de Política Urbana, Maria Caldas, explicou que cerca de 12 mil pessoas serão beneficiadas com o Jornada Produtiva. “A finalidade é promover a inserção produtiva e a geração de oportunidade de renda, principalmente para as pessoas com baixo poder aquisitivo, que trabalham de forma irregular comercializando nas ruas da cidade”, comenta.

A secretária informou ainda que os editais para o comércio em veículos de tração humana e automotores serão publicados em junho e o das novas feiras, em setembro. Cada modalidade de atuação dos ambulantes e outras categorias terão um edital específico com as informações para a população. As publicações serão feitas no portal da PBH.

Oportunidade de trabalho

O programa prevê a oferta de 13 vagas para o licenciamento de carros de tração humana para a venda de frutas no Hipercentro e a instalação de mobiliários urbanos sobre o passeio com objetivo de dar suporte aos 156 ambulantes com deficiência licenciados, melhorando a qualidade do espaço público. Além disso serão disponibilizadas 122 oportunidades para o comércio de comidas e bebidas em bicicletas, conhecido como food bike, nas ruas e parques municipais.

O Jornada Produtiva inclui ainda 356 novos licenciamentos de veículos automotores para lanche rápido nas ruas e parques da cidade e 563 para comerciantes em veículos de tração humana, como pipoqueiros. A PBH i publicar novo edital de licitação com a oferta de 865 vagas em feiras de artesanato, plantas, comidas e bebidas para feirantes, que serão somadas às 825 vagas já sorteadas em feiras, conforme edital publicado em novembro. O processo está em fase final de publicação do resultado do sorteio.

Ainda como parte do programa, cerca de 500 vagas foram disponibilizadas nos shoppings populares Uai, no Centro, e O Ponto, em Venda Nova, por meio da Operação Urbana Simplificada no Plano de Inclusão Produtiva dos Camelôs. O município atua como parceiro dos camelôs cadastrados e subsidia parte do valor do aluguel. No momento, cerca de 300 boxes já estão ocupados e 200 vagas estão disponíveis.

Distribuição das vagas

Carros de frutas - 13 vagas - licenciamento de carros de tração humana para exposição e venda de frutas na região central.

Carros de lanche rápido - 356 vagas - licenciamento de veículos automotores para lanche rápido em logradouros públicos.

Comércio em logradouro para pessoas com deficiência - 156 vagas - serão instalados mobiliários urbanos sobre o passeio ou em áreas contíguas ao passeio com o objetivo de dar suporte aos trabalhadores e melhorar a qualidade do espaço público urbano.

Feiras - 1.690 vagas - oportunidade para feirantes. O edital do primeiro lote com a oferta de 825 vagas já foi realizado. O edital para o segundo lote, com 865 vagas em 14 feiras, está previsto para ser publicado em setembro.

Food bikes -122 vagas - possibilidade de venda de comidas e bebidas em bicicletas, um novo modelo de negócio para comida de rua e de baixo custo.

Shoppings populares - 500 vagas - os comerciantes possuem boxes disponíveis nos shoppings UAI e O Ponto a valores reduzidos.

Veículos de tração humana - 563 vagas - licenciamento de ambulantes que exercem atividade comercial de venda de comidas e bebidas por meio de veículos de tração humana.

Tags:
  • trabalho
  • bh
  • pbh
  • ambulantes
  • economia
  • emprego
Comentários

Comentários