FecharX

Botijão de gás sofre aumento de 2,20% em BH

<p>Levantamento foi feito pelo Procon Assembleia, que percorreu mais de cem estabelecimentos comerciais</p>


Créditos da imagem: Reprodução
Main 6 gas
Reprodução
Redação Sou BH
12/08/14 às 10:37
Atualizado em 01/02 às 17:26

Uma pesquisa realizada no último dia 15 pelo Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) em estabelecimentos de Belo Horizonte e da Grande BH, constatou aumento de 2,20% no preço médio do botijão de gás de 13 kg e de 0,33% no cilindro de 45 kg, em relação ao mês de dezembro de 2013. Considerando os dois produtos, o aumento geral foi de 0,70%. O levantamento foi feito em 97 revendedores e cinco distribuidoras de gás de cozinha.

Entre os estabelecimentos visitados, os preços variaram de R$ 55,00 a R$ 35,00 (57,14%), no botijão de 13 kg, e de R$ 235,00 a R$ 150,00 (56,67%), no cilindro de 45 kg. Em comparação com dezembro de 2013, a maior variação, no botijão, verificou-se na região Nordeste (7,15%), seguida da região Oeste (6,12%). Nas distribuidoras, o percentual de variação foi de 2,16%. A Pampulha foi a única região que apresentou percentual de queda no preço do botijão de 13 kg (-0,58%). Nas demais, os índices ficaram entre 0,29% e 1,54%.

Já o cilindro de 45 kg sofreu variação menos expressiva. Nas regiões em que houve aumento, os percentuais variaram entre 0,04% (Nordeste) e 0,88% (Centro-Sul) e 1,87% (Norte). Nas distribuidoras, o índice de aumento foi de 1,61%. Três regiões registraram variação com queda de preço: Noroeste (-1,10%), Leste (-1,12%) e Barreiro (-1,43%).

Consulte aqui a pesquisa completa sobre gás de cozinha.

Consumidor deve estar atento para questões de segurança

O Procon Assembleia alerta para alguns pontos que devem ser observados na hora de comprar gás de cozinha: todo botijão deve trazer lacre sobre a válvula, com a marca da empresa engarrafadora. No corpo do botijão, essa marca deve estar impressa, além de conter também o selo com informações importantes, conforme a Lei 20.601/2013, segundo a qual os botijões de gás de cozinha ? gás liquefeito de petróleo ( GLP) -, para serem comercializados no Estado, deverão apresentar, na parte externa, selo que contenha: I - nome, logomarca, CNPJ e endereço da empresa envasadora; II ? informações sobre a utilização e os riscos do produto; III ? data do envasamento.

O órgão de defesa do consumidor observa também que os botijões de gás só devem ser adquiridos de comerciantes que estejam em situação regular junto à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que fiscaliza esta atividade em todo o Brasil. Além de solicitar a identificação do entregador, o consumidor deve examinar o botijão, na presença do funcionário, para ver se está em boas condições (sem ferrugem ou partes amassadas).

O Procon também recomenda que o consumidor exija a nota fiscal, como garantia. Caso o revendedor se recuse a emitir a nota, o consumidor deve desconfiar, pois gás adulterado não tem documentação. A recusa em emitir a nota fiscal deve ser denunciada na Delegacia de Policia. O Código de Defesa do Consumidor não ampara compras feitas em revendedores ilegais.

Segundo o Procon, nunca se deve virar de cabeça para baixo, nem deitar, bater, rolar, deixar cair, ficar em cima ou danificar o botijão (ou cilindro). Na instalação, não se deve usar martelo ou qualquer outro tipo de ferramenta.

Também nunca se deve trocar o botijão portando cigarros acesos ou com chamas por perto. Se desconfiar de vazamento, o usuário deve fazer um teste simples: passar na válvula do botijão uma esponja molhada e ensaboada. Se houver indício de vazamento (exemplo: borbulhas), deve-se fechar o registro e procurar o fornecedor, que é obrigado a prestar assistência técnica.

Desconfie de locais em que os botijões encontram-se empilhados em calçadas, amarrados a postes de rua ou armazenados em locais sem sinalização adequada. Em casa, armazene o botijão em locais de ventilação natural e protegido da chuva, sol e umidade. Nunca deixe a mangueira condutora encostada ou passando por trás do fogão, pois o aquecimento da mangueira pode provocar incêndio. Consulte a pesquisa completa sobre gás de cozinha.

Comentários