FecharX

SENTE O SOM! Conheça as promessas da música mineira para 2020

A cena musical está em alta e o Sou BH traz um especial, dividido em cinco matérias, para você ficar por dentro dos novos talentos da nossa terrinha


Créditos da imagem: Rafael Barra + Fassbender + Capelo011_ + Maysa Mundim Zucheratto
Main musicos bh   home   parte i   hip hop
Amanda Santos *
10/02 às 17:00
Atualizado em 13/02 às 17:58

Que Beagá é celeiro de grandes artistas e vem despontando na cena musical nacional não é novidade para ninguém. Do pop ao rap, Belo Horizonte traz opções para todos os gostos e estilos. Skank, Jota Quest, Clube da Esquina, Milton Nascimento, Sepultura, entre outros, alçaram voos, ampliaram horizontes e conquistaram públicos ao redor de todo o país. Anos se passaram e com a música em constante mudança, a praticidade das redes sociais e o surgimento das plataformas de streaming, muitos grupos e artistas conseguiram mostrar seu trabalho, expandindo o som por todos os cantos.

A banda Lagum, formada em 2014, se tornou referência para os novos nomes da música mineira nos últimos anos e reaqueceu a cena local, que era predominantemente dominada por bandas covers e não “aceitava” o trabalho autoral. O grupo conquistou fãs com canções originais e uma forma de comunicação mais aberta, e se tornou um dos novos destaques da música brasileira.

Essa revolução, se assim podemos dizer, abriu portas e contribuiu para que o público e os próprios artistas voltassem a acreditar no potencial da música autoral. A partir daí, emergiram novos talentos e grandes gravadoras, como a Sony Music, voltaram a colocar nossa querida BH no radar de novidades.

Outro fenômeno que merece destaque é o protagonismo feminino no mundo da música mineira. Hoje, em quase todos os grandes projetos e iniciativas, há uma mulher envolvida, seja à frente ou nos bastidores.

Com todas essas transformações e evoluções musicais na capital, novos talentos vêm se destacando e se consolidando como grandes apostas para 2020. Por isso, o Sou BH fez um especial dividido em estilos para você refrescar suas playlists. Nesta missão, contamos com a especialista em marketing artístico e dona da empresa Furmiga Comunicação, Thaís Palhares, que nos ajudou a listar as promessas da cena local. Começamos essa série de destaques com o Hip Hop. Prepare seu fone de ouvido e vem conhecer os nossos mineirinhos!

Djonga

Djonga! Talvez esse nome não seja novidade para muitos, mas é impossível deixar ele de fora dessa lista. Apesar de já ser um nome consolidado e forte no país, é sempre bom reforçar os talentos da nossa cidade. Gustavo Pereira Marques, mais conhecido pelo seu nome artístico, é sem dúvidas um dos maiores destaques do rap nacional. O músico, que iniciou na carreira musical em meados de 2010, possui quase dois milhões de ouvintes mensais no Spotify, vídeos que também acumulam milhões de plays e três álbuns gravados. O mineiro atravessou fronteiras e conquistou seu espaço, fortalecendo a cena do rap mineiro e dividindo o palco e as composições com diversos artistas. Sente o som:



Fabrício FBC

O mineiro Fabrício Soares, o FBC, já ocupa os palcos mineiros há muitos anos. O músico, destaque do Duelo de MCs e ex-integrante do DV Tribo, grupo de rap formado por nomes como Djonga, Clara Lima e a dupla Hot e Oreia, possui uma história com mais de 15 anos na cultura hip-hop. Com 449.160 ouvintes mensais no Spotify e três álbuns lançados, FBC é com certeza um nome de peso nesse universo. O seu reconhecimento nacional foi ampliado com os lançamentos de seus últimos álbuns, que contaram com uma campanha de marketing nas redes sociais. A movimentação para divulgar o segundo disco, Padrim, repercutiu e contou com o apoio de artistas como Marília Mendonça e Mano Brown, que seguiram o movimento e postaram a data “15/11” (data de lançamento) em seus perfis. Massa, né?


Hot e Oreia

Uma dupla que foge aos padrões! Com seu rap cheio de humor, crítica social, sátiras e estilos, Mário Apocalypse e Gustavo Aguiar se lançaram no cenário musical com irreverência e muita originalidade. Após passarem pelo Duelo de MC’s, Sarau Vira-Lata e pelo coletivo DV Tribo, os músicos se uniram para dar sequência à carreira e conquistaram fãs com um trabalho que vem da vida, cheio de referências teatrais. A dupla está sempre presente no cenário belo-horizontino e acumula passagens por alguns festivais de música. Hoje, somam um pouco mais de 200 mil ouvintes mensais no Spotify e seguem trabalhando seu primeiro álbum, Rap de Massagem. Confira:



Sidoka

Astro do trap brasileiro, assim costumam se referir ao jovem Nicolas Paolinelli. Sidoka, como é conhecido publicamente, é uma das revelações do rap nacional. Ele se encontrou no trap e conseguiu criar uma linguagem própria dentro do gênero. O músico, que se dedica à música há anos, ganhou reconhecimento quando, em 2018, dividiu o feat UFA com o Djonga. O garoto, de 20 e poucos anos, começou divulgando suas composições no Sound Cloud e hoje acumula 2 álbuns, vários singles, um milhão e meio de ouvintes mensais no Spotify e uma passagem pelos palcos de Portugal, onde se apresentou nos dias 17 e 18 de janeiro deste ano. É uma trajetória admirável. Confira a canção Não Me Sinto Mal Mais, que acumula 13 milhões de visualizações no Youtube.



Curtiu? Fique de olho que na quarta-feira é a vez do pop invadir sua playlist! Até lá!

* sob supervisão do jornalista Gustavo Falabella

Tags:
  • soubh
  • bh
  • novos talentos
  • apostas
  • revelações
  • música mineira
  • música
Comentários

Comentários