FecharX

Gal Costa volta a BH com show especial

Ingressos estarão à venda a partir da terça-feira (2)


Créditos da imagem: Divulgação
Main gal costa 20140831201235
Venda de ingressos para show da cantora começa na terça (2)
Redação Sou BH
31/08/14 às 17:12
Atualizado em 01/02 às 17:58

A partir de terça-feira (2), os ingressos para o show de Gal Costa no Palácio das Artes estarão disponíveis para compra na bilheteria do teatro e pela internet. Gal volta a BH com o show “Espelho D'água” em que divide o palco com o guitarrista e violonista Guilherme Monteiro, no dia 26 de setembro.

A música, que dá nome ao show, é a primeira parceria de Marcelo Camelo com seu irmão Thiago Camelo (autor da letra). A música estará no disco que a cantora prepara com produção de Kassin e Moreno Veloso. “Espelho D’água”, em sua curta temporada em São Paulo, conquistou o público e a crítica, principalmente por apresentar um repertório nada previsível, focado em canções que há um bom tempo Gal não levava ao palco.  

O repertório foi escolhido a quatro mãos pela cantora e pelo jornalista Marcus Preto, que também divide com Gal Costa a direção do espetáculo. O roteiro se concentra nos temas que se tornaram clássicos na voz da cantora. Desde a primordial “Coração Vagabundo” (Caetano Veloso), canção que abria o primeiro álbum de Gal, “Domingo” (1967), até alguns de seus maiores sucessos, como “Folhetim” (Chico Buarque), “Vaca Profana” (Caetano Veloso), “Sua Estupidez” (Roberto e Erasmo Carlos), “Volta” (Lupicínio Rodrigues) e “Você não entende nada"” (Caetano Veloso), “Tuareg” (Jorge Ben), “Negro Amor” (B. Dylan – versão Caetano Veloso/Péricles Cavalcanti), “Caras e Bocas” (Caetano/ Maria Bethânia), entre outros.  

“Há muito de ‘Recanto’ no voz e violão. Alguns clássicos que foram incluídos no ‘Recanto’ ao vivo fazem parte desse show novo, como ‘Baby’. Essas músicas mais intensas fazem parte desse show. Guilherme ao mesmo tempo que é intenso – como eu sou no palco – tem a delicadeza que esse show pede. Ele tem uma influência profunda do jazz e deixa o espetáculo tão sofisticado quanto o show com a banda completa”, explica Gal.

Comentários