FecharX

A delicadeza da música de Kadu Vianna

O cantor e compositor conversou com o Sou BH sobre música, carreira e sua passagem pelo The Voice Brasil


Créditos da imagem: Divulgação
Main 173233 kadu divulgacao
Cantor e compositor Kadu Vianna faz abertura do show de Tulipa Ruiz
Redação Sou BH
26/11/14 às 12:19
Atualizado em 01/02 às 18:02

Por Camila de Ávila, jornalista do Sou BH

O projeto MPB Petrobras traz para o palco do Palácio das Artes, no dia 26 de novembro, sábado, o som de Tulipa Ruiz. Mais uma vez a cantora paulista se apresenta no Grande Teatro, trazendo as canções de seus discos “Efêmera”, de 2010, e “Tudo Tanto”, de 2012. Para abrir a noite, a atração escolhida foi o mineiro Kadu Vianna, que recentemente participou do reality The Voice Brasil. O Sou BH conversou com ele sobre sua carreira.

“Nasci em um ambiente bastante musical, uma vez que meus familiares paternos são muito ligados à música”, conta o cantor.  Na vida de Kadu, o contato com a música aconteceu na infância e, quase todo fim de semana, ela se fazia presente em encontros de família. “Era comum rodas de violão, poesia e meu avô tocando sax nas festas de final de semana ou ocasiões especiais”, diz. Com quatro anos, Kadu já cantava e pediu ao pai um violão de presente e, aos oito anos iniciou os estudos de música com o professor Alexandre Piló.

Buscando ampliar o conhecimento musical, Kadu formou-se em canto lírico na UFMG em meados de 2010. Mas as primeiras composições do músico, que hoje trabalha com Leo Minax, Murilo Antunes, Ricardo Nazar, Flávio Henrique, Pedro Morais e Magno Mello, surgiram quando ele tinha apenas 12 anos. “Ainda que de forma tímida, mas já tentava escrever minhas próprias letras e compor minhas próprias melodias, sustentadas pelas harmonias já com influências da música mineira e brasileira em geral”, explica.

Aos 15 anos o compositor ganhou seu primeiro prêmio por composição, no festival de Rio Acima, concorrendo com outros setenta artistas. “Eu era o único menor de idade. Inscrevi-me com a música chamada ‘Princesa’ e acabei conquistando o primeiro lugar. Foi algo muito surpreendente e motivador”, afirma. As composições de Kadu falam de amor e, por isso, ele se considera um cantor romântico e se inspira nas situações do dia a dia, vividas por ele mesmo ou por alguém próximo. “Adoro descrever situações em que o amor é a tônica. Seja o amor entre pais, entre parceiros, os bem sucedidos e os mal, os sofridos e os leves”, explica.

Juntamente com Flávio Henrique, e os cantores Mariana Nunes e Pedro Morais, Kadu Vianna tem o grupo vocal Cobra Coral. “A ideia de montar esse grupo partiu do Flávio Henrique. Ele sempre teve esse espírito agregador e todos nós já havíamos cantado com ele em algum momento”, conta. Segundo Kadu, a ideia de montar o grupo foi de Flávio Henrique. “Lembro-me que dentro de um avião, retornando de um show, o Flávio disse a mim que tinha vontade de montar um grupo vocal e perguntou se eu gostava da ideia. Sendo grande fã do grupo norte americano Take 6, fiquei empolgado demais, embora soubesse que não havia possibilidade de se chegar a um resultado como aquele dos caras”, conta em meio a risos. O quarteto Cobra Coral é sucesso de critica e público, com um disco homônimo no mercado, e o segundo ainda em processos de gravação.

The Voice

Kadu Vianna participou recentemente do programa The Voice Brasil. Mas já apareceu na TV antes, no quadro Garagem do Faustão. “Alguém inscreveu um vídeo da minha parceria com Leo Minax ‘O fim do fim’ e ele acabou sendo veiculado. Como a votação era feita pelo público, no momento da exibição, perdi para um funk carioca, estilo que estava em alta na época”, conta.

Já sobre o The Voice Brasil, Kadu acredita que a exposição é bem maior. “E como entrei com uma canção brasileira, composta por Beto Guedes, tive muito mais oportunidade de mostrar quem sou eu”, argumenta. O músico afirma que ser julgado é muito difícil. “A tensão é bem maior e o nervosismo interferiu negativamente, no meu caso. A voz fica trêmula, o desconforto não permite que crie com liberdade e facilidade e ainda tem o fato de cantar sem tocar, o que é super incomum em minha vida. Sempre estou com meu violão e ele me fez muita falta, acredite”, enfatiza.  

Em 2015 Kadu lança um novo disco, juntamente com um DVD. “O conceito do álbum é buscar uma sonoridade moderna, com uma influência gigantesca do violão de aço tocado com os dedos, não com palheta”, explica.

Para a abertura do show da Tulipa Ruiz, Kadu apresentará canções inéditas do novo disco no formato voz, violão, piano e cello. “Embora o show seja curto, apenas 30 minutos, faremos números emocionantes e agradáveis aos ouvidos dos presentes”, conclui.


Comentários