FecharX

13º edição do Tudo é Jazz traz a Bossa Nova

As ruas de Ouro Preto se enchem de música e festa no tradicional festival de jazz


Créditos da imagem: Divulgação
Main 133305 celso fonseca
Cantor e compositor Celso Fonseca canta no Tudo é Jazz em Ouro Preto
Redação Sou BH
03/12/14 às 11:37
Atualizado em 01/02 às 18:03

Por Camila de Ávila, jornalista do Sou BH

A charmosa e histórica Ouro Preto será palco, mais uma vez, da sofisticada música nascida nos guetos de Nova Orleans: o jazz. O Festival Internacional Tudo é Jazz será nos dias 6 e 7 de dezembro, sábado e domingo, com entrada franca no Centro de Convenções da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) (Rua Diogo Vasconcelos, 328, bairro Pilar, Ouro Preto/MG).

Segundo a curadora do festival, Maria Alice Martins, “o objetivo do evento é trazer para Ouro Preto um turismo de qualidade que não faz mal ao patrimônio histórico”, explica. Ela afirma que a escolha o ritmo tem a ver com esta preocupação. “Escolhemos o jazz porque esse ritmo possui um público muito culto, que sabe distinguir o que é bom do que é ruim”, afirma.

A cidade é um espetáculo que completa o festival. “A cidade em si é um festival de história, arquitetura e arte. Uma galeria a céu aberto e o festival combina com este cenário”, afirma Maria Alice. A curadora diz ainda que as pessoas acabam conhecendo melhor a cidade devido ao festival. “O instituto Estrada Real da Fiemg (Federação da Indústria do Estado de Minas Gerais) fez um estudo que afirmou que deixamos cerca de 6 milhões na cidade. Isso contando somente com o comércio formal. Imagina no informal”, ressalta.

Com data geralmente em setembro, devido ao calendário tão agitado deste ano, com a Copa do Mundo e as eleições, o Festival Tudo é Jazz passou para dezembro. “Gostamos muito deste mês, pois não temos concorrente, estamos sozinhos”, diz Maria Alice. O nome do festival tem muita força no mundo jazz e a curadora estima um bom público nos dias do evento. “Estimamos mil pessoas por dia e sabendo do feriado em BH acredito que as pessoas vão ficar mais tranquilas para voltar para casa”, lembra. “O público de jazz é muito fiel, ninguém baixa a música pela internet. Eles compram o disco, é um público muito interessante”, analisa.

Esta edição do festival vai contemplar a música brasileira. “Nestes 13 anos de festival, passamos pelo jazz de Nova Orleans, do feito na Europa e agora vamos mostrar o jazz feito no Brasil, que é a bossa nova”, conta. As atrações são artistas nacionais que fazem sucesso dentro e fora do Brasil. “Procuramos trazer gente de qualidade como Wanda Sá, que completa 40 anos de carreira, Léo Gandelman e Celso Fonseca, que é cultuado em Nova Iorque”, constata.

Para o festival do ano que vem 2015, Marai Alice já pensa num tema. “Quero fazer sobre Billie Holiday, que completaria 100 anos. Pretendo fazer um tributo a ela”, explica.

Os ingressos gratuitos deverão ser reservados no site do Tudo é Jazz e retirados na portaria do evento até 1 hora antes da abertura. A entrada no evento será feita mediante apresentação do ingresso e com a doação de um brinquedo ou livro infantil. O Tudo é Jazz tem patrocínio por meio das leis Federal e Estadual.

Que tal aproveitar o festival para conhecer um pouquinho mais de Ouro Preto? Veja nosso roteiro com sugestões de passeios pela cidade histórica.

Saiba também como se vestir para a festa.

Comentários