FecharX

9ª edição Cinecipó

Local não informado

9ª edição Cinecipó

Evento encerrado
  • Gratuito

Data

30/11/20 até 28/12/20

Seg, Ter, Qua, Qui, Sex, Sab, Dom | 00:00 - 23:59


Créditos da imagem: Reprodução/Rio das Negras Almas

Em busca de pluralidade e diversidade, a 9ª edição do Festival Cinecipó apresenta uma programação de filmes insurgentes com o objetivo da busca pela apreciação da diferença. Idealizado por Cardes Monção Amâncio e Daniela Pimentel de Souza, o evento, que antes se limitava à Serra do Cipó e Belo Horizonte, neste ano ultrapassa os limites territoriais e tem alcance nacional com a programação on-line. Na programação serão mais de 60 filmes, oficinas e palestras que acontecem entre os dias 30 de novembro e 28 de dezembro, gratuitamente, no site do festival.

  

Separado em quatro programas semanais - derivas, vigílias, retomadas e sonhos -, compostos por aproximadamente 15 curtas e três longas, nesta edição predominam questões de gênero, LGTQI+ e raciais. Também haverá temas como questões ambientais, ditadura civil-militar, ocupações rurais e urbanas, entre outros. A coordenação da curadoria fica a critério de Cardes, Fabiana Leite e Luís Flores e, neste ano, foi feito uma chamada para jovens curadores de até 25 anos para participar dessa seleção. Os jovens selecionados foram: Carina Maciel, Diego Souza, Gabriel  Araújo, Iakima Delamare, Larissa Muniz e Pedro Rena.

 

Em Derivas, a programação explora o experimental e performático com filmes que enunciam, pela relação intensa dos corpos em cena, conflitos, afetos e inquietações, em um mundo que precisa lembrar e aprender a olhar sem subjugar.

 

Na semana de Retomadas, produções que caminham no sentido contrário da perda de memória e velocidade de informação/compartilhamentos dão o tom com novas narrativas que convocam de diferentes maneiras, a palavra e a fala - seja por meio de testemunhos, depoimentos, cartas, poemas ou rememorações.

 

Com o desejo de elaborar histórias, experiências e afetos que vão além da lógica imagética do realismo, em Sonhos serão disponibilizados filmes com propostas variadas que buscam compreender universos a partir de registros sensíveis, de diferentes perspectivas culturais, cosmológicas e/ou imaginárias.

 

Na mostra Vigília, produções realizadas em prol de lutas e que refletem as emergências dos nossos tempos, conectando a tensão com o real em imagens cinematográficas.


Confira a programação completa!


Filme de abertura – disponível de 29/11, 19hs, até 1/12, 20hs

 

Nossa Voz de Terra - Memória e Futuro (Nuestra Voz de Tierra - Memoria Y Futuro), Marta Rodriguez e Jorge Silva
O filme tenta uma junção entre dois termos arbitrariamente considerados diferentes: o registro documental e a encenação. Acompanha cinco anos de experiência com um grupo indígena para expor sua difícil realidade no mundo moderno. 

 

Programação Infantil - 30 de novembro a 28 de dezembro

Trincheira, Paulo Silver

Num aterro de lixo, um garoto observa o imponente muro de um condomínio de luxo. Gabriel usa de sua imaginação para construir seu mundo fantástico.

 

Histórias de Yayá - A concha (Ep.1), Reinaldo Sant?ana
A personagem surge no exato momento em que foi capturada na Serra Leoa na África. Ela faz um juramento a Iemanjá de preservar as estórias do povo africano. Quando o navio negreiro está no meio do atlântico, Iemanjá surge parando o tempo e aceita a promessa desta menina chamada Yayá, que recebe da senhora das águas o poder de guardar todo a história de seu povo.

 

Cordilheira de amoras II, Jamille Fortunato

Uma índia Guarani Kaiowá, Cariane Martines de 9 anos, transforma seu quintal num experimento do mundo. Ela cria histórias e personagens que alargam sua solidão em brincadeiras, sonhos e projetos. 

 

Vivi Lobo e o quarto mágico, Isabelle Santos e Edu MZ Camargo
Vivi Lobo é zombada pelos colegas da escola por conta do seu nome. Mas quando ela descobre uma porta mágica em seu quarto, começa dentro dela um processo de transformação que a fará ver o vê-lo de uma forma diferente.

 

Véu de Amani, Renata Diniz
Amani é uma garotinha que veio do Paquistão e agora mora no Brasil. Ao mudar de casa, a menina de origem muçulmana recebe um presente inesperado da sua nova amiga brasileira: um biquíni.

 

Claudete e o bolo, Fádhia Salomão
Ela adora fazer bolos e faz isso com verdadeira paixão, esta é a Claudete. Seus bolos são apreciados por todos e isso a agrada, mas quando se depara com uma demanda excessiva, Claudete terá que agir.     

 

Guri, Adriano Monteiro
Victor é um menino de 12 anos que sonha em vencer um campeonato de bolinha de gude do seu bairro.

 

Mãtãnãg, A Encantada, Shawara Maxakali e Charles Bicalho

A índia Mãtãnãg segue o espírito de seu marido, morto picado por uma cobra, até a aldeia dos mortos. Juntos eles superam os obstáculos que separam o mundo terreno do mundo espiritual.

  

Programa 1 - 30 de novembro a 6 de dezembro

 

Sertânia - Sessão única dia 1/12, Geraldo Sarno

Mais de 50 anos depois de realizar alguns dos essenciais documentários acerca do cotidiano do sertão nordestino e da vida dos migrantes oriundos de lá, Geraldo Sarno retorna a esse espaço com a liberdade e clareza que apenas a maturidade permite atingir.

 

O Último Sonho, Alberto Alvares

O documentário homenageia o grande líder Guarani espiritual Wera Mirim – João da Silva, da aldeia Sapukai/Angra dos Reis (RJ) –, que teve seu passamento em 2016. Ele sempre ouvia e seguia a orientação de Nhanderu para guiar seu povo através da sabedoria, do sonho e de belas palavras.

 

Esperança 1770, Carmen Kemoly

Esperança Garcia é vida, direito e reparação. Fala poeticamente sobre uma mulher em diáspora, que tem a chegada de seus ancestrais pelo Maranhão e ao chegar no Piauí escreve uma carta denunciando os maus tratos que ela e sua comunidade sofriam. O que não sabia, é que com isso seria a primeira advogada do Brasil, oficializada pela OAB em 2017.

 

República, Grace Passô

Numa noite, uma brasileira desperta num país exausto de atos violentos. O curta-metragem foi realizado em casa, no início da quarentena de 2020, no centro da cidade de São Paulo, no bairro da República.

 

Bonde, Asaph Luccas

Três jovens negros da favela de Heliópolis saem em busca de refúgio na vida noturna LGBT+ do centro da cidade de São Paulo.

 

As Constituintes de 88, Gregory Baltz

A constituição de 1988 garantiu diversos direitos sociais e políticos. Em meio a uma Assembléia composta majoritariamente por homens, as 26 mulheres constituintes fizeram suas vozes serem ouvidas e conseguiram aprovar emendas importantes para a luta de igualdade de gênero no Brasil.

 

Açude Nº50, Wagner Ferreira e Paulo Conceição

Na Zona Rural de Caruaru, um pequeno açude agoniza e estudantes do agreste pernambucano, se unem para tentar reverter os prejuízos causados pela ausência de praticas sustentáveis e por meio de depoimentos resgatam sua história e relevância para o povoado.

 

Gênesis, Juan Augustin Greco e Maria Sanchez Martinez

Karen e Alexix são um casal de Victoria, uma cidade em Entre Ríos. Hoje criam sua filha Génesis, abrindo espaço como uma família trans.

 

Relatos Tecnopobres, João Batista Silva

Após a tomada do poder pelas grandes corporações aliadas aos militares e a apoiadas pela classe média em 2019, uma série de violações aos direitos humanos foram cometidas contra as populações tradicionais e periféricas visando a sua extinção. Em 2035, os sobreviventes lutam pelo direito de viver e articulam uma revolução.

 

O Quádruplo (The Fourfold), Alisi Telengut

Baseado nas antigas crenças animistas e rituais de adoração à natureza na Mongólia e na Sibéria, o filme é sobre a visão de mundo e a sabedoria indígenas: a natureza é a pátria do ser humano, Tengri é a divindade e o pai céu, a Terra é a mãe com os rios nutrindo todos os seres, deuses pagãos e panteístas coexistem com todos os mortais. 


Rua Augusta, 1029, Mirrah Iañez da Silva

Em São Paulo. Na madrugada de 13 de Abril de 2015, 6 mil famílias ocuparam 18 prédios sem função social. O Ato, ABRIL VERMELHO, serviu para atentar o governo sobre a falta de vontade política para sanar os problemas de habitação.

 

Ela Viu Aranhas, Larissa Muniz

Quatro jovens mulheres vagam por um pequeno apartamento. Elas se olham.

 

Carne, Camila Kater

Crua, Mal Passada, Ao Ponto, Passada e Bem Passada. Através de relatos íntimos e pessoais, cinco mulheres compartilham suas experiências em relação ao corpo, desde a infância até a terceira idade.

 

Julite, Castiel Vitorino

Julite é uma declaração de amor à minha avó paterna e à saudade que eu senti de Vitória enquanto não estava aqui. Acho que esse trabalho também é um adeus à saudade, porque entendi que na distância não há desconexão com aquilo que fui e com aquelas e estas vidas que me permitiram ser.

 

Candombe do Açude: o passado contado pelo Canto. Ep. 1: Pandemia - Isolamento ou Respiro?, Danilo Candombe

CANDOMBE DO AÇUDE - o passado contado pelo canto - é uma série de três documentário sobre o quilombo do Açude. O primeiro episódio - PANDEMIA - ISOLAMENTO OU RESPIRO - retrata sobre como foi o ritual do Candombe durante a pandemia no ano de 2020 e mostra como a nova geração vivenciou e sentiu a manifestação de suas tradições, pela primeira vez em 20 anos sem a influência de visitantes.

 

A Noite Através, Gustavo Jardim

Vicente Tumui conta sobre a criação da noite na cultura Guajajara e conduz os ensaios para a Festa do Mel; inspira, assim, uma forma de pensar os corpos em sincronia com a natureza. "A Noite Através" foi filmado na aldeia Lagoa Quieta, Maranhão, Brasil.

 

INSTITUIÇÃO_INTUIÇÃO, Ana Pi

O vídeo foi realizado para o programa #IMSCONVIDA – Instituto Moreira Salles – IMS durante esse tempo estranho de isolamento social, racismo-cínico, infodemia & fake news terrorism, sucateamento hospitalar e colapso do sistema capitalista. Como não valia me explodir de gritar de ódio, eu tentei canalizar energias antagônicas e esculpir uma pedra-coração.

 

Programa 2 - 7 a 13 de dezembro

 

Entre Nós Talvez Estejam Multidões, Aiano Bemfica, Pedro Maia de Brito

Entre nós talvez estejam multidões propõe uma jornada experiencial através da Ocupação Eliana Silva ao longo da campanha que elegeu Bolsonaro, na recente ascensão do fascismo ao poder no Brasil.

 

Cadê Edson?, Dácia Ibiapina

Um filme sobre movimentos populares em defesa da moradia. Apresentando: o Estado contra os Sem Teto, na capital do Brasil.

 

Hasta Que Muera El Sol, Claudio Carbone

O documentário segue a história de dois jovens amigos nativos, com diferentes estratégias de resistência, ligadas pelo sentimento de pertença às suas raízes e pelo desejo de resgatar uma identidade perdida. 

 

Até o Fim, Ary Rosa e Glenda Nicácio

Geralda está trabalhando em seu quiosque a beira de uma praia no Recôncavo da Bahia, ela recebe um telefonema do hospital dizendo que seu pai pode morrer a qualquer momento. Ela avisa suas irmãs Rose, Bel e Vilmar. O encontro promovido pela espera da morte se torna um momento de desabafo e reconhecimentos das quatro irmãs que não se reúnem desde a morte da mãe, há 15 anos.

 

Perifericu, Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda e Vita Pereira

Luz e Denise cresceram em meio às adversidades de ser LGBT no extremo sul da cidade de São Paulo. Entre o vogue e as poesias, do louvor ao acesso a cidade. Os sonhos e incertezas da juventude inundam suas existências.

 

Rio das Almas e Negras Memórias, Taize Inácia e Thaynara Rezende

Baseado em fatos reais, o filme revela memórias veladas de sofrimento dos negros escravizados às margens do Rio das Almas em Pirenopolis-GO.

 

CoroAção, Juciara Áwô e Luana Arah

Mulheres negras sustentam a ancestralidade, o lugar de fala e ação no ori. CoroAção subverte rodilhas, baldes, cargas. O trapo insignificante é coroa sagrada. Um corpo negro caminha, erguendo um balde, suportando um oceano, refazendo os passos da própria história.

 

Atordoado, permaneço atento, Lucas H. Rossi dos Santos, Henrique Amud

O Jornalista Dermi Azevedo nunca parou de lutar por direitos humanos e agora, três décadas depois do fim da ditadura militar no Brasil, ele testemunha o retorno dessas mesmas práticas.

 

Aula de Hoje, Dário Junior

Ângela, uma professora de geografia moradora do vale do Reginaldo - grota situada na cidade de Maceió - usa o cinema como principal recurso didático. 30 após sua estreia, o curta-metragem Ilha das flores ainda se mostra atual.

 

Rebento, Vinicius Eliziario

Zói, ao saber da gravidez de sua namorada, desata em si, sentimentos suspensos. Pedro, só queria terminar o desenho de sua família.

 

Tudo que é apertado rasga, Fábio Rodrigues Filho

Na tentativa de forjar uma ferramenta capaz de operar o corte por justiça, este filme retoma e intervém em imagens de arquivo, reestudando parte da cinematografia nacional à luz da presença e agência do ator e da atriz negra.

 

Trincheira, Paulo Silver

Num aterro de lixo, um garoto observa o imponente muro de um condomínio de luxo. Gabriel usa de sua imaginação para construir seu mundo fantástico. Livre.

 

Ditadura Roxa, Matheus Moura

Yeda, mulher verde, vende pães e biscoitos caseiros para sustentar a casa onde vive com seu marido doente. Por meio do contexto das pessoas verdes, conhecemos a realidade de quem vive à margem de uma sociedade roxa, que naturalmente segrega as pessoas de rosto verde. Uma oportunidade faz com que Yeda repense sua identidade e seus valores.

 

Apneia, Carol Sakura e Walkir Fernandes

Muriel não sabia nadar, tinha tanto medo. Um medo que ecoava a distância de sua mãe e trazia à tona os pavores e monstros da infância. Mergulhada em si mesma, ela busca agora a voz e o ar que sempre lhe faltou como menina e mulher.

 

In Vitro, Larissa Sansour & Soren Lind

In Vitro é ambientado na sequência de um eco-desastre. Um reator nuclear abandonado sob a cidade bíblica de Belém foi convertido em um enorme pomar. Usando sementes antigas coletadas nos últimos dias antes do apocalipse, um grupo de cientistas está se preparando para replantar o solo acima.

 

Memórias de Mim, Coletivo Filme de Rua

Ver e ouvir. Uma relação com a cidade e com os lugares, uma composição a partir das memórias e experiências com a rua. Paisagens visuais e sonoras da cidade de Belo Horizonte, criadas a partir de um laboratório de produção experimental do coletivo Filme de Rua proposto pelos cineastas e arte educadores Clebin Quirino e Zi Reis. 


Meninos Rimam, Lucas Nunes

Arthur e Alexandre são amigos de infância. Enquanto um se sente pressionado a dar o primeiro beijo, o outro quer se tornar um grande rapper e gravar seu primeiro clipe. Ao se ajudarem, eles iniciam novas descobertas e o sentimento de amizade acaba se tornando algo que um deles não imaginava existir.

 

Rosário, Igor Travassos e Juliana Soares

Desde que sofreu uma grande perda, Rosário tem o hábito de ouvir o programa policial toda manhã e rezar pelas vítimas e suspeitos dos crimes da madrugada, até que um dia ela vira personagem de uma dessas histórias.

 

Boi de Oliveira, Saberes Tradicionais
O filme acompanha o percurso do Boi que anuncia a festa de Nossa Senhora do Rosário de Oliveira, MG. Arrastando multidões, entre a devoção e a vibração das ruas, o boi é senhor das encruzilhadas e abre os caminhos para o festejo. 


Nas giras do vento, César Guimarães, Pedro Aspahan, Saberes Tradicionais

Mestra dos pontos cantados da umbanda, liderança quilombola e zeladora do Centro Espírita Caboclo Pena Branca, em Ubá, Maria Luiza Marcelino vai ao encontro de seus ancestrais que jazem próximos aos escombros de uma antiga fazenda escravocrata.

 

Programa 3 - 14 a 20 de dezembro

 

Virou Brasil, Pakea, Hajkaramykya, Arakurania, Petua, Arawtyta'ia, Sabiá e Paranya

Entre a vida na mata e as histórias antigas de seus avós, passando pela experiência do contato com a sociedade não-indígena, vivida por seus pais, uma nova geração de jovens Awá-Guajá nos conduz - com suas câmeras de vídeo - pelos caminhos que levaram sua terra a "virar Brasil".

 

Chão, Camila Freitas

Enquanto o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realiza protestos e movimentações para pressionar o governo a aprovar uma reforma agrária que redistribuirá o território de uma usina prestes a falir, um grupo de conservadores ligados a latifundiários luta para acabar com as manifestações dos ocupantes.

 

Cavalo, Rafhael Barbosa e Werner Salles Bagetti

Envolvidos num processo artístico, sete jovens dançarinos são provocados a um mergulho em suas ancestralidades.

 

Enquanto estamos aqui, Clarissa Campolina, Luiz Pretti

Um diário de viagem de duas vidas que se cruzam em Nova York. Lamis, uma libanesa, acaba de  se mudar para a cidade e descreve suas impressões, enquanto o brasileiro Wilson já mora lá há 10 anos. 


À beira do planeta mainha soprou a gente, Bruna Barros

Recortes de afeto entre duas sapatonas e suas mães.

 

Álbum de Casamento, Otávio Conceição

O fim.

 

O verbo se fez carne, Ziel Karapotó

A invasão dos europeus em Abya Yala nos deixou cicatrizes. Ziel Karapotó utiliza seu corpo para denunciar cinco séculos de colonização.   

 

Joãosinho da Goméia, Janaína Oliveira Refém, Rodrigo Dutra

O filme apresenta Joãosinho da Goméa como narrador principal de sua história. Com músicas cantadas por ele, performances provocadoras e arquivos diversos que ressaltam o quanto ele foi e é importante para as religiões de matriz africana. A Rainha Elizabeth II disse que se o candomblé tivesse um rei, esse seria Joãosinho da Goméa, o Rei do Candomblé.

 

À Margem das Torres, Ton Apolinário

Vila das Torres foi uma comunidade auto construída à partir de uma das maiores hortas urbanas do Rio de Janeiro, abaixo das torres de energia da companhia Light e ao lado das linhas do trem. A horta supria o mercado local de ervas desde os anos 60. Em 2010, a comunidade foi completamente removida para a construção do Parque Madureira.

 

Bicha-bomba, Renan de Cillo

Este filme “não é capaz de vingar as mortes, redimir os sofrimentos, virar o jogo e mudar o mundo. Não há salvação. Isso aqui é uma barricada! Não uma bíblia.”

 

Brooklin, Coletivo Cine Leblon

Em um futuro próximo, os moradores do Brooklin são submetidos a um toque de recolher imposto pela Guarda do Estado Verdadeiro. Através de uma rádio clandestina, criada por um grupo de jovens insurgentes, um espaço de denúncia se abre. 

 

Ângelo, Mariana Machado

Retrato íntimo de Ângelo Machado, cientista, escritor, dramaturgo, ambientalista e zoólogo, estudioso de libélulas e borboletas.

 

Seremos Ouvidas, Larissa Nepomuceno

Como existir em uma estrutura sexista e ouvinte? Gabriela, Celma e Klicia, três mulheres surdas com realidade diferentes, compartilham suas lutas e trajetórias no movimento feminista surdo.

 

Naquela Época Devoraram Meus Olhos, Experimental | 4'13" | 2019 | Brasil

Naquela época, eles comeram meus olhos e eu não posso dizer o que aconteceu.

 

Alcateia, Carolina Castilho

Mulheres que correm umas com as outras.

 

Histórias de Yayá - A concha (Ep.1), Reinaldo Sant´ana

 

Thynia, Lia Letícia

Minha primeira viagem ao Velho Mundo. Minha fantasia aventureira pós colonial. [Um discurso muda uma imagem?]

 

#Kipaexoti, Coletiva da ASCURI

#Kipaexoti é um filme produzido pela #Ascuri que mostra a força e resistência do Povo Terena da aldeia Cachoeirinha (mbokoti) no Pantanal Sul (Miranda - MS), em manter viva sua dança tradicional denominada kipaexoti, também conhecida como dança da Ema.

 

Saliva, Maria Trika

Minha casa fede a carne. Meu irmão esquece de abrir as janelas. O cheiro me encontra e persegue.

Onde vou o azedo vermelho me rodeia. Ocupa meu quarto ao tornar-se marrom. Invade os sonhos no escuro e incendeia quando perturba a letra. Penteia meu cabelo / amanteiga os cantos / acessa a raiva me tirando a fome / podre.

confunde o cheiro / do sono / em meu / corpo.

 

Filme de Domingo, Lincoln Péricles

Domingo de sol na quebrada. Um tio babão, uma mãe zika, uma criança artista. 

 

Makota Valdina, César Guimarães, Pedro Aspahan e Saberes Tradicionais

Makota Valdina, liderança do Terreiro Nzo Onimboya, em Salvador, foi figura central na história brasileira das lutas em defesa das religiões de matriz africana, dos direitos das mulheres e das populações negras desde a década de 1970. Nesse filme, ela conta um pouco da sua história de vida e fala da relação entre a natureza, os inquices e a cura. 

 

Programa 4 - 21 a 28 de dezembro

 

É rocha e rio, Negro Leo, Paula Gaitán

Encontro com o músico, compositor, sociólogo, poeta e performer Negro Leo.

 

ZAWXIPERKWER KA?A – Guardiões da Floresta, Jocy Guajajara, Milson Guajajara

Nos limites do "complexo verde" formado pelas terras indígenas Caru, Awá, Alto Rio Guamá e Alto Turiaçu dos índios Guajajara e Awá-Guajá, que em um ano tiveram seis lideranças assassinadas, os Guardiões da Floresta lutam para proteger seu território, a última área de floresta contínua no estado do Maranhão. 


Diga Meu Nome, Juliana Chagas Gouveia

"Diga Meu Nome" é um documentário que conta a história de duas mulheres trans brasileiras na luta pelo direito a ter o nome e o gênero com o qual se identificam em todos os documentos oficiais e que buscam respeito de suas famílias e da sociedade. Selem, 45 anos, é uma travesti; Diana, 22, mulher transexual.

 

A Morte Branca do Feiticeiro Negro, Rodrigo Ribeiro

Memórias do passado escravista brasileiro transbordam em paisagens etéreas e ruídos angustiantes. Através de um ensaio poético visual, uma reflexão sobre silenciamento e invisibilização do povo preto em diáspora, numa jornada íntima e sensorial. Imagens da permanência, em um grito que atravessa séculos.

 

Nakua pewerewerekae jawabelia / Hasta el fin del mundo / Até o fim do mundo, Margarita Rodriguez Weweli-Lukana & Juma Gitirana Tapuya Marruá

Vídeo experimental, realizado inteiramente com câmera de celular, parte do projeto UNID@S CONTRA A COLONIZAÇÃO: MUITOS OLHOS, UM SÓ CORAÇÃO, que mescla as linguagens do documentário e da performance, além de três idiomas: sikuani, espanhol e português.

 

As canções de amor de uma bixa velha, André Sandino Costa

Uma conversa sobre o tempo. A partir do espetáculo homônimo de Marcio Januário o filme aborda o envelhecimento do homem negro, gay na periferia. 

 

Ruth, Igor Dalbone

Ruth ama o Carnaval. Dárcio vai sempre com ela.

 

Livro das Horas (Livre D?heures), Suzan Noesen

Livro das Horas retrata o cotidiano da coabitação da artista Suzan e sua avó Bomi em uma aldeia. O filme é baseado em sua interação na vida real. 

 

Homens Invisíveis, Luis Carlos de Alencar

O documentário abordará em 25 minutos a situação da população transgênera masculina no cárcere a partir dos problemas de Saúde acarretados pelo binarismo de gênero que embasa o sistema penal. 

 

Rebu - A Egolombra de uma Sapatão Quase Arrependida, Mayara Santana 
Um documentário em primeira pessoa que se propõe a investigar dentro da minha vivência sapatão as diversas performances de masculinidade, levando em conta meus três últimos relacionamentos e também com entrevistas com o homem com o qual eu cresci, Pedro Bala, meu pai.

 

Elas (Ellas), Angélica Itzel Cano López

Ela e Yaz são duas mulheres - e o que elas passaram quando crianças marcou suas vidas para sempre. Na esperança de evitar que isso aconteça aos outros, eles empreendem uma jornada em busca de resiliência e libertação.

 

Mãtãnãg, A Encantada, Shawara Maxakali e Charles Bicalho

A índia Mãtãnãg segue o espírito de seu marido, morto picado por uma cobra, até a aldeia dos mortos. Juntos eles superam os obstáculos que separam o mundo terreno do mundo espiritual. 

 

Alforria Social Beat, Rodjeli Salvi

Caco comemora o emprego em uma agência de publicidade, mas logo percebe que seus repertórios comportamentais e culturais são os motivos implícitos de sua inadequação social na empresa. O encontro com Lais, rapper e mãe, será fundamental para os dois para lidar com as situações que os limitam.

 

Encruza, Bruna Andrade, Gleyser Ferreira, Maíra Oliveira e Uilton Oliveira

A partir do conceito de encruzilhada, o curta metragem "Encruza" aborda questões que transpassam os corpos negros. De forma interligada, as narrativas se constroem no encontro das personagens. A elucidação dos conflitos pungentes são as pontas dessa encruzilhada que culminam nesta grande celebração que é o carnaval de rua na Lapa carioca. 


Egum, Yuri Costa

Após anos afastado devido à violenta morte do irmão, um renomado jornalista retorna para a casa de sua família para cuidar de sua mãe, que sofre uma grave e desconhecida doença. 

 

Jakaira, Coletiva da ASCURI

Situado na aldeia Guyra Kambi?y do povo Kaiowá (MS/Brasil), o filme guia pelas diferentes fases e intensidades da realização do ritual de batismo do milho branco, o Jerosy Puku. 


O Cinecipó

 

O Cinecipó – Festival do Filme Insurgente – teve sua primeira edição em 2011, na Serra do Cipó (MG). A proposta era realizar quatro dias de cinema ao ar livre, na praça e de graça, levando ao público filmes que não têm espaço na mídia convencional. Até 2015, o festival foi realizado na Serra do Cipó, Lapinha e Santana do Riacho. Também já foram realizadas mostras em outras partes do Brasil como Pernambuco e Brasília. O coletivo produziu exibições itinerantes no Espaço Comum Luiz Estrela, Quilombo dos Marques, Quilombo do Palmital e em escolas públicas.

 

Além dos filmes, o festival também oferece oficinas e workshops nas áreas de cinema, artes plásticas e música voltadas para a questão da sustentabilidade.

Tags:
  • sou bh
  • cinecipo
  • cinema
  • cinema insurgente
  • online
  • festival
Reportar erro
Encontrou algum erro? Informe para a gente.