FecharX

Manoel de Barros: das raízes crianceiras às coisas olhadas de azul

Biblioteca Pública

Manoel de Barros: das raízes crianceiras às coisas olhadas de azul

Evento encerrado
  • Infantil
  • Gratuito

Data

18/03/17 até 29/04/17

Seg, Ter, Qua, Qui, Sex | 08:00 - 18:00

Sab | 08:00 - 12:00

01/04/17 até 01/04/17

Sab | 08:00 - 12:00

29/04/17 até 29/04/17

Sab | 08:00 - 12:00


Créditos da imagem: Divulgação

 Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa – Setor Infanto-juvenil (Praça da Liberdade, 21 - Funcionários) recebe a exposição "Manoel de Barros: das raízes crianceiras às coisas olhadas de azul", entre os dias 18 de março e 29 de abril.

Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h; sábados (18/03, 01/04 e 29/04), das 8h às 12h

O evento, promovido em parceria com Colégio Loyola, que completa 74 anos de existência, homenageia o centenário do poeta mato-grossense por meio de uma série de poemas do escritor que tratam da infância, da natureza e exploram aspectos cotidianos da existência. Na mostra, os textos vão estar acompanhados por brinquedos, flores e outros elementos lúdicos presentes na obra de Manoel de Barros.

Sobre o autor

Um dos poetas mais importantes da literatura brasileira, Manoel de Barros nasceu em Cuiabá (MS) em 19 de dezembro de 1916. Sua infância foi uma de suas maiores inspirações como poeta. Na adolescência, o escritor se mudou para a capital fluminense para dar sequência aos estudos e aos 19 anos escreveu seu primeiro poema. Nos anos 1940, formou-se em Direito, casou-se e, em seguida, mudou-se para o Pantanal. Formalmente, sua obra é considerada pós-modernista com influências da vanguarda europeia. Manoel de Barros recebeu inúmeros prêmios literários, dentre eles dois Jabutis (1989 e 2002) e um da Academia Brasileira de Letras (2000), além de várias homenagens de expressão nacional. O escritor morreu em 2014 aos 97 anos.

Reportar erro
Encontrou algum erro? Informe para a gente.