Minas Gerais: do tradicional ao contemporâneo

Minas Gerais possui uma expressiva variedade cultural e natural e a diversidade do Estado está espelhada na preciosidade de suas cidades históricas

Inhotim - No eixo rosa do mapa está "De Lama Lâmina", de Matthew Barney Foto: Inhotim - Instituto de Arte Contemporânea e Jardim Botânico

Minas Gerais distingue-se por duas heranças singulares - a tradição e a contemporaneidade - e possui uma expressiva variedade cultural e natural, provenientes da sua formação histórica e de sua rica e exuberante natureza, onde o contemporâneo convive em harmonia com o passado. 

A diversidade do Estado está espelhada na preciosidade de suas cidades históricas, na grandiosidade de sua Capital e nas possibilidades de convivência com o contemporâneo do Inhotim - Instituto de Arte Contemporânea e Jardim Botânico. 

Percorrer Minas é uma valiosa oportunidade de desvendar as suas múltiplas faces e respirar história, cultura e arte.

Coreto da Praça da Liberdade Foto: Charles Tôrres

1. Belo Horizonte

Moderna e acolhedora, Belo Horizonte conquista os turistas que a visitam para lazer, negócios ou estudos. Cercada pela imponente Serra do Curral, que lhe garante um clima agradável, ostentando uma arquitetura rica e contando com excelente serviço de bares, hotéis e restaurantes de qualidade internacional, a cidade oferece opções para todos os gostos. Durante o dia ou à noite, a capital mundial dos bares está repleta de gente bonita e alegre; a gastronomia da capital mineira é uma referência mundial; diversos concursos e festivais de dar água na boca. 

O centro de Belo Horizonte é estratégico e oferece as melhores condições de acesso até aos pontos turísticos, inclusive, é possível fazer um tour pela cidade a pé e conhecer diversos atrativos turísticos: museus, cinemas, parques, teatros, serras e mirantes.

Lagoa da Pampulha

Com um perímetro de 18 km, a Lagoa da Pampulha foi construída no final da década de 30, durante a gestão do Prefeito Otacílio Negrão de Lima, com o objetivo de ampliar o abastecimento de água na região. No início dos anos 40, diante da necessidade de modernizar a cidade, o prefeito Juscelino Kubitschek idealizou, juntamente com o arquiteto Oscar Niemeyer, o Conjunto Arquitetônico Modernista da Pampulha em sua orla. 

As curvas desenhadas por Niemeyer delineando a orla da Lagoa da Pampulha são belíssimos cartões postais da cidade. O Conjunto da Pampulha se tornou um marco da arquitetura moderna, que inspirou a construção de Brasília. A arte está na Pampulha, nas obras de Niemeyer e de grandes artistas como Portinari, Ceschiatti, Burle Marx, Zamoiski, José Pedrosa, Guignard, e também por toda a cidade. O Conjunto da Pampulha teve sua candidatura aceita a Patrimônio Cultural da Humanidade.  

Igreja São Francisco de Assis

Em linhas curvas, em tons azuis, é totalmente revestida por azulejos e painéis de Cândido Portinari, que retratam a Via Sacra e a imagem de São Francisco, com escultura de Alfredo Ceschiatti e pastilhas de Paulo Werneck. Considerada uma das grandes obras de Niemeyer e Portinari, a Igrejinha da Pampulha é emoldurada pela lagoa e pelos belos jardins de Burle Marx. 

Endereço: Av. Otacílio Negrão de Lima, 3.000 – Pampulha. Horário de funcionamento: Terça a sábado e feriados das 9h às 17h. Domingo, das 11 às 14h. Mais informações: Telefone (31) 3427-1644. Taxa de entrada: a consultar. Aos domingos, missa às 9h30 com entrada franca. 

Casa do Baile

Foi inaugurada em 1943, com projeto de Niemeyer, para ser um espaço de dança popular, abrigando um restaurante e um salão de dança. Revitalizada recentemente, abriga o Centro de Referência em Urbanismo, Arquitetura e Design, com eventos e exposições sobre o tema.

Endereço: Av. Otacílio Negrão de Lima, 751 – Pampulha. Horário de funcionamento: Terça a domingo das 9h às 17h. Mais informações: Telefone (31) 3277-7443.

Casa Kubitschek

Projetada na década de 40 para ser residência de fim de semana do então prefeito de Belo Horizonte Juscelino Kubitschek. Segue o mesmo estilo do Iate Tênis Clube, com telhado em asa-de-borboleta e planos inclinados, configurando tipologia característica da arquitetura brasileira dos anos 50, o modernismo. Os jardins e pomar são de Burle Marx. O espaço cultural da cidade, às margens da Lagoa da Pampulha, se dedica a contar a história de uma casa modernista por meio de espacializações, objetos e estímulos sensoriais.

Endereço: Avenida Otacílio Negrão de Lima, 4188 – Pampulha. Horário de funcionamento: Terça a domingo das 10h às 17h. Mais informações: Telefone (31) 3277-1586. 

Mineirão - Estádio Governador Magalhães Pinto

Inaugurado em 1965, com o objetivo de atender a uma demanda crescente de público em jogos dos principais times da capital, o Mineirão foi determinante para o desenvolvimento do futebol de Belo Horizonte nos cenários nacional e internacional. Apelidado carinhosamente como "Gigante da Pampulha", passou por reforma para a realização da Copa do Mundo de 2014 e foi transformado em arena multiuso. Tem capacidade para 64 mil lugares. Nas dependências do Mineirão encontra-se o Museu Brasileiro do Futebol. O Museu Brasileiro do Futebol é um espaço para experimentar a emoção e a paixão dos brasileiros pelo esporte mais popular do planeta. 

Endereço: Av. Antônio Abrahão Caram, 1.001 – Pampulha. Horário de funcionamento: A Esplanada do Mineirão, visita diária de 7h às 21h (sujeita a alteração em períodos de eventos) – Não há taxa de visitação. Visita guiada: Terça a sexta das 9h às 17h. Sábado e Domingo das 9h às 13h (em dias de eventos ou jogos não há visitação) – Taxa de visitação a consultar. Mais informações: Telefone (31) 3499-4300. Site: www.minasarena.com.br.

Mineirinho - Estádio Jornalista Felipe Drummond

O estádio poliesportivo foi criado em 1980 para incentivar o esporte especializado e já registrou recordes mundiais de público em partidas de futsal e vôlei. Com capacidade para 25 mil pessoas, hoje também é palco de shows e diversificados espetáculos.

Endereço: Av. Antônio Abrahão Caram, 1.000 – Pampulha. Mais informações: Telefone (31) 3499-1171.

Museu de Artes e Ofícios

Uma fascinante viagem no tempo. São mais de 2 mil peças dos séculos XVIII ao XX, acervo de objetos utilizados nas mais variadas profissões, onde se pode entender toda a riqueza e a evolução do trabalho. Inaugurado em 2005, é o primeiro e único museu da América Latina dedicado integralmente ao tema. Com 9 mil m² de área, ocupa os prédios históricos da antiga Estação Ferroviária na Praça da Estação. 

Endereço: Praça Rui Barbosa, s/nº - Estação Central, Centro. Horário de funcionamento: Terça a sexta das 12h às 19h. Quarta e quinta-feira das 12h às 21h. Sábados, domingos e feriados das 11h às 17h. Mais informações: Telefone (31) 3248-8600. Site: www.mao.org.br.. Taxa de entrada: a consultar (às quartas e quintas-feiras, após 17h, e aos sábados, gratuito). Escolas públicas e ONGs - entrada gratuita - somente com agendamento prévio pelo telefone (31) 3248-8600 ou via site. Escolas particulares - meia entrada - somente com agendamento prévio pelo telefone.

Mercado Central

Sabores, cheiros, tradições, ingredientes e objetos vindos de todos os cantos de Minas. São mais de 400 lojas, bares e lojas vendendo de tudo: queijos, legumes, carne de sol, ervas, cachaça, artesanato e muito mais.

Endereço: Av. Augusto de Lima, 744 – Centro. Horário de funcionamento: Segunda a sábado das 7h às 18h. Domingos e feriados das 7h às 13h. Mais informações: Telefone (31) 3274-9434. Site: www.mercadocentral.com.br.

Atrativos do Circuito Cultural da Praça da Liberdade

Um belo local para aprender um pouco sobre a história da capital de Minas. O circuito foi implantado pela Secretaria de Estado da Cultura, em parceria com a iniciativa privada, para oferecer à população espaços de conhecimento, arte e cultura. Como resultado, a população ganhou um rico conjunto com equipamentos culturais. Cada prédio, que antes era utilizado por Secretarias de Estado, foi transformado em um espaço cultural aberto à visitação. 

Endereço: Praça da Liberdade, s/n°. Horário de funcionamento: Segunda a sexta das 9h às 17h. Mais informações: Telefone (31) 3272-9584. Site: www.circuitoculturalliberdade.mg.gov.br.

Praça do Papa

"Que belo horizonte!". Esta frase foi dita por ninguém menos que o Papa João Paulo II diante da paisagem vista da Praça Israel Pinheiro, no alto das Mangabeiras. Depois da missa campal, realizada em 1980, passou a ser chamada de Praça do Papa, onde foi erguido um monumento para homenagear o ilustre visitante. Cercada pela Serra do Curral, a praça é um belo lugar para passear e apreciar a vista panorâmica da cidade.

Mirante das Mangabeiras

Oferece aos visitantes uma linda visão panorâmica da cidade e do Parque das Mangabeiras.

Endereço: Rua Pedro José Pardo, s/nº - Mangabeiras, atrás do Palácio Mangabeiras. Horário de funcionamento: Terça a domingo das 10h às 22h. Mais informações: Telefone (31) 3277-8277.

Inhotim

O Instituto Inhotim possui cerca de 700 obras de mais de 100 artistas de 30 diferentes nacionalidades. Em permanente expansão, o acervo vem sendo formado desde fins dos anos 1990 e possui hoje relevância mundial por contemplar trabalhos das mais potentes vozes artísticas da atualidade. Com foco na arte contemporânea produzida a partir dos anos 1960 até os dias atuais, os trabalhos vão de esculturas, instalações, pinturas e desenhos a até fotografias, filmes e vídeos. Com exposições temporárias e permanentes, Inhotim é considerado o maior museu de arte a céu aberto do mundo. Além de arte, o local surpreende por sua imponência e originalidade, aliando cultura e natureza. 

Endereço: Rua B, 20, Brumadinho/MG. Horário de funcionamento: Terça a sexta-feira: 9h30 às 16h30. Sábado, domingo e feriado: das 9h30 às 17h30. Mais informações: (31) 3571-9700. Site: www.inhotim.org.br.

Ouro Preto, cidade símbolo. Não se consegue falar de Ouro Preto sem falar do Barroco Foto: Banco de imagens

2. Ouro Preto

Com a Independência, Vila Rica recebeu o nome de Ouro Preto e torna-seu a capital de Minas Gerais até 1897. Por sua indiscutível importância histórica nos âmbitos político, econômico, social e cultural ao longo de 300 anos, Ouro Preto foi elevada a Monumento Nacional em 1933 (Decreto Nº 22928 de 12/07/1933), tombada pelo IPHAN em 1938 e declarada "Patrimônio Cultural da Humanidade" pela UNESCO em 1980.

Não se consegue falar de Ouro Preto sem falar do Barroco, que está impregnado em sua história. Fenômeno cultural e artístico, intimamente ligado à exploração do ouro no século XVIII, o barroco mineiro tem em seu artista mais célebre - Antônio Francisco Lisboa - o Aleijadinho, o grande mestre, o qual através de sua arte criou um conjunto de obras espetaculares por toda a cidade.

Basílica de Nossa Senhora do Pilar

A primitiva Matriz do Pilar, construída entre 1700 e 1703 em taipa e madeira, é considerada o mais antigo templo da vila, concluída por volta de 1710. Achando sua igreja pequena e arruinada, a comunidade decidiu por sua demolição e a edificação de um novo templo. A construção foi iniciada por volta de 1728. Quando a construção, começada pelo corpo do templo primitivo, atingiu a capela-mór, transladaram provisoriamente o Santíssimo Sacramento e imagens para a Capela do Rosário dos Pretos, só retornados em 1733, quando a obra estava praticamente concluída, na procissão conhecida como "Triunfo Eucarístico". Entre 1735 e 1737, foi realizada a decoração arquitetônica da nave. 

A capela-mór foi reconstruída em maiores proporções e decorada em 1714 e 1754. A Matriz apresenta trabalhos de Francisco Branco de Barros Barriga, Francisco Xavier de Brito (inaugurando em Minas o estilo caracterizado por "D. João V de Lisboa" ou "estilo Brito") e Antônio da Silva. Em 1º de dezembro de 2012 a Igreja foi elevada a Basílica.

Endereço: Praça Monsenhor João Castilho Barbosa, Pilar. Horário de funcionamento: Terça a domingo de 9h às 10h45 e de 12h às 16h45. Mais informações: Telefone (31) 3551-4736. Site: www.arqmariana.com.br. Taxa de entrada: a consultar. 

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco de Assis

A Ordem Terceira da Penitência de São Francisco de Assis, primeira ordem criada em Vila Rica, foi fundada em 9 de janeiro de 1746, na Capela de Bom Jesus dos Perdões e agrupava os mais importantes membros da sociedade da época. Dez anos mais tarde já contava com muitos adeptos que, desde 1751, passaram a se reunir na Matriz de Antônio Dias. 

Por volta de 1752, cogita-se a construção de seu próprio templo, iniciada em 1765. Com risco de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, atesta a evolução no emprego da curva e contracurva o introduziu um tipo completamente novo na arquitetura, considerada a obra-prima da arte colonial brasileira.

Endereço: Largo do Coimbra, Centro. Horário de funcionamento: Terça a domingo, das 8h30 às 12h, das 13h às 17h. Mais informações: Telefone (31) 3551-3282. Taxa de entrada: a consultar.

Museu da Inconfidência

Formado por mais de 4 mil objetos, o acervo do Museu da Inconfidência possui exemplares de praticamente todas as esferas da vida social mineira dos séculos XVIII e XIX. Aceitando a verdade histórica de que a Inconfidência não teria existido se não fosse Vila Rica, onde ocorria o grande confronto com a Metrópole devido à exploração do ouro e onde estava emergindo uma classe social com massa crítica que permitiu se pensar na autonomia do país, o Museu foi reestruturado para apresentar a Inconfidência relacionada com Ouro Preto. No piso inferior é apresentada a infraestrutura da evolução econômica, social e política e no superior a superestrutura da criação artística de Vila Rica.

Endereço: Praça Tiradentes, 139, Centro. Horário de funcionamento: Terça a domingo, de 12h às 18h. Mais informações: Telefone (31) 3551-1121. Site: http://www.museudainconfidencia.gov.br. Taxa de entrada: a consultar. 

Mariana - uma das mais tradicionais cidades históricas de Minas Gerais Foto: Banco de Imagens

3. Mariana

A antiga Vila de Nossa Senhora de Ribeirão do Carmo, uma das mais tradicionais cidades de Minas, apresenta, em sua formação histórica e cívica, vários pioneirismos. Sua colonização teve início em 1696.  Já em 1709, a primitiva capela erguida para fundação do arraial minerador foi transferida para a recém-construída Igreja de Nossa Senhora da Assunção (hoje Catedral Basílica da Sé). 

O governo português encomendou, em 1745, ao engenheiro militar José Fernandes Alpoim, um traçado geométrico para o seu núcleo urbano, outro pioneirismo de Mariana e que a distingue das outras cidades históricas mineiras. Neste mesmo ano, a cidade recebeu o nome da esposa de D. João V, Maria Ana d’Áustria. 

Catedral de Nossa Senhora da Assunção - Igreja da Sé

Um dos mais belos monumentos religiosos do Brasil Colonial e mais antiga Matriz da cidade. Construída em 1711, foi trabalhada por dois grandes vultos da arte barroca: José Pereira Arouca e Manoel Francisco Lisboa, pai de Aleijadinho. No batistério há uma tela do pintor Manoel da Costa Athayde, com retábulos da primeira fase do barroco. 

Na pia batismal e no tapavento, que é o mais belo da região, nota-se a presença do trabalho de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. No altar-mor, a imagem de Nossa Senhora do Carmo, com o manto bordado a ouro, autenticamente português.

Endereço: Praça Cláudio Manoel – Centro. Horário de funcionamento: Terça a domingo de 8h às 17h. 

Museu Arquidiocesano de Arte Sacra

O museu é um dos mais completos museus sacros do Brasil, possuindo cerca de 2 mil peças. A mais valiosa é um relicário de ouro com 168 brilhantes. É considerado o mais rico em arte sacra de Minas e o segundo do Brasil. Possui mobiliário raro, imagens portuguesas, trabalhos em pedra sabão e jacarandá, pinturas de Athayde, paramentos riquíssimos, louças chinesas, jarras de porcelana, alfaias de ouro e prata, objetos dos antigos bispos, imagens raríssimas e ambientes completos do século XVIII. Instalado na antiga Casa Capitular.  

Endereço: Rua Frei Durão, 49 (entrada pela Igreja da Sé). Horário de funcionamento: Terça a domingo, de 9h às 12h e de 13h às 17h. Mais informações: Telefone (31) 3557-2581. 

Casa de Câmara e Cadeia

Um dos mais imponentes sobrados da arquitetura colonial de Minas Gerais, a Casa de Câmara e Cadeia de Mariana foi projetada em 1768 e ficou pronta em 1795. Além de funções administrativas e legislativas, o local funcionou também como casa de fundição de ouro e senzala. Hoje, é a sede da Câmara Municipal de Mariana. O local é dividido em três compartimentos. Os três cárceres eram destinados respectivamente aos presos brancos, negros e mulheres. Nos fundos da Casa de Câmara e Cadeia fica a capela do Senhor dos Passos, construída em 1793 e sem uso religioso.

Endereço: Praça Minas Gerais, 89 – Centro. Horário de funcionamento: 8h às 18h. Mais informações: Telefone/fax - (31) 3557-2747.

Igreja Nossa Senhora do Carmo

Teve sua construção iniciada em 1784. Destaca-se das outras igrejas da cidade pela fachada, com florões na portada e torres cilíndricas, o que lhe dá um ar soberano e a primazia na arte e no belo. Foi erguida pelos irmãos da Ordem Terceira do Carmo. Em seu interior, os altares são em talha, no estilo Rococó. Em 1999, um incêndio destruiu todos os elementos em madeira da nave principal. Várias imagens dos séculos XVII e XVIII e a pintura do teto foram também consumidas pelo fogo. A restauração foi concluída em 2006.

Endereço: Praça Minas Gerais – Centro. Horário de funcionamento: Terça a domingo de 9h às 12h e 13h30 às 17h.

Rua Direita

Segunda rua mais antiga da cidade, caracterizada pelas suas importantes construções coloniais: a Casa do Barão de Pontal, ex-governador de Minas; a Casa Setecentista, em estilo colonial, construída no final do século XVIII e XIX, que hoje sedia o IPHAN. Também chama a atenção na Rua Direita a casa que pertenceu ao poeta simbolista Alphonsus de Guimaraens, cujo acervo pessoal está guardado no Arquivo Público Mineiro, em Belo Horizonte. Tão logo seja finalizada a obra de restauração do imóvel, os inúmeros pertences deste importante escritor retornarão à origem.

Fonte: Belotur

Programe-se

Quando ir

Para conhecer igrejas e museus com calma, evite o Carnaval, a Páscoa e o feriado de 12 de Outubro. Já o Instituto Inhotim sempre oferece programação especial para os visitantes durante feriados prolongados.

Restaurantes imperdíveis
  • Bar do Ganso
  • Restaurante Oiticica
  • Restaurante Tamboril
Atrações imperdíveis
  • Igreja São Francisco de Assis
  • Lagoa da Pampulha
  • Mineirão
  • Mineirinho
  • Museu de Artes e Ofícios
  • Parque das Mangabeiras
  • Praça do Papa

Mapa