SouBH Notícias

Projeto Ammor é referência no cuidado de jovens em situação de risco

A instituição presta atendimento médico e oferece atividades de capacitação para crianças e adolescentes

Redação Sou BH - 28/12/18 as 09:00 - Atualizado em 29/12/18 as 13:32

Garoto de blusa vermelha em frente a um portão azul
Foto: Divulgação/Projeto Ammor

*Por Jordânia Andrade

Num ato de cuidado, a médica holandesa Irene Adams tomou uma iniciativa que mudou a vida de milhares de jovens. Moradora em Belo Horizonte desde 1986, Irene se sensibilizou com o avanço da contaminação de meninos de rua com o vírus HIV. 

Antes de criar o Projeto Ammor, Irene coordenava a Clínica Ammor, especializada em prevenção e acompanhamento da infecção do vírus HIV/AIDS e também a Clínica Nossa Senhora da Conceição, que atendia pacientes com câncer terminal e HIV. A Nossa Senhora da Conceição fechou e Irene decidiu unir alguns dos projetos sociais que havia na casa de saúde numa única instituição. Assim nasceu o Projeto Ammor, que além de atendimento médico, atua em prol do desenvolvimento humano de pessoas em desvantagem social. 

O Ammor reúne uma série de ações que beneficiam pessoas em situação de rua, principalmente crianças e adolescentes, além de auxiliar no tratamento de pacientes com vírus HIV e AIDS e usuários de drogas ou álcool. 

Assim, dentro do Projeto Ammor funcionam os seguintes grupos: COMVIDHA, de assessoria jurídica; a Academia de  Ginástica Movimento Saúde, a Cooperativa Grupo Solidário, de capacitação através de oficinas de artes e a Clínica AMMOR, de check up de crianças e adolescentes em risco social.

Hoje, a Clínica Ammor tem parceria com 68 instituições governamentais e não-governamentais. Essas entidades encaminham jovens que necessitam de acompanhamento médico para o centro de saúde, que oferece consultas gratuitamente. 

Não ser indiferente faz toda a diferença


A idealizadora do projeto observa o quanto o amor ao próximo pode salvar uma vida: "A importância do projeto é que trabalhamos com pessoas que vivem à margem da sociedade, repeitando, escutando e mostrando nossa fé na capacidade de cada um deles", comenta. 

Irene Adams também percebe que além do tratamento médico, é necessário entender a situação de cada pessoa que necessita de ajuda. "Talvez, a única coisa que esses jovens precisam é de um apoio. Ás vezes, precisamos acompanhar de perto até que eles possam dar conta de 'andar' sozinhos. Compartilhar o crescimento de uma pessoa que foi resgatada me traz tanto respeito e orgulho, é um trabalho que não tem preço". 

Para ajudar na manutenção da instituição, o Projeto criou uma loja virtual. As estampas dos produtos foram feitas pelo estilista Ronaldo Fraga. Dentre as peças camisetas, canecas, lenços e guarda-chuvas. Todos os itens podem ser adquiridos no site oficial do Ammor. 

Em 2019, o projeto vai precisar de uma mãozinha extra para continuar desenvolvendo o trabalho. O grupo está buscando voluntários entre profissionais de comunicação, como jornalistas, analistas de marketing e propaganda; além de auxiliares administrativos, advogados e assistentes sociais. Para colaborar, é só entrar em contato pelo telefone (31) 3444-3877 ou pelo site do Projeto Ammor. 

*sob supervisão da editora-chefe, Érika Gimenes

Outras Matérias